Cúpula Mundial sobre o Clima em 2019. O anúncio do secretário-geral das Nações Unidas

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Uma análise de fundo a partir do golpe de Estado na Bolívia

    LER MAIS
  • Gregório Lutz e a reforma litúrgica no Brasil. Artigo de Andrea Grillo

    LER MAIS
  • Lula desequilibra o jogo. Craque é craque

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

12 Setembro 2018

“Manter o aquecimento do nosso planeta abaixo de dois graus é essencial para a prosperidade global, para o bem-estar das pessoas e para a segurança. Por esta razão, em setembro de 2019, convocarei uma cúpula sobre o clima para colocar a ação ao topo da agenda internacional". Isso foi afirmado pelo Secretário das Nações Unidas, António Guterres, anunciando a nomeação do diplomata mexicano Luis Alfonso de Alba como seu "enviado especial para orientar os preparativos".

A informação é publicada por L'Osservatore Romano, 11/12-09-2018. A tradução é de Luisa Rabolini.

O mundo tem dois anos para tomar medidas contra as mudanças climáticas e evitar enfrentar sérios problemas em todo o planeta, disse Guterres, convidando a sociedade civil a "exigir responsabilidades” aos líderes mundiais por sua atitude em relação às políticas climáticas. "Se não mudarmos de direção até 2020, corremos o risco de consequências desastrosas para os seres humanos e para os sistemas naturais que nos sustentam", ele acrescentou.

O discurso no Palácio de vidro do Secretário-Geral das Nações Unidas chega um pouco antes de uma cúpula global organizado para coordenar a ação sobre o clima que reunirá em São Francisco milhares de funcionários eleitos, prefeitos, líderes de organizações não-governamentais e empresas de diferentes continentes.

Ressaltando especialmente as dificuldades adicionais que poderiam surgir na cadeia alimentar e no acesso à água, Guterres afirmou que o mundo está "enfrentando uma ameaça existencial direta" que representa "o maior desafio" atual. "A mudança climática está indo mais rápido que nós. Temos os instrumentos para tornar eficazes as nossas ações, mas nos falta, mesmo após o acordo de Paris, liderança e ambição para fazer o que temos que fazer", frisou o secretário geral da ONU. Por isso, ele acrescentou, "devemos parar o desmatamento, recuperar florestas degradadas e mudar a maneira como cultivamos. Também precisamos rever como aquecer, arrefecer e iluminar os nossos edifícios para desperdiçar menos energia".

Guterres também lembrou que a cúpula mundial do clima que será realizada em setembro de 2019 nas Nações Unidas foi especialmente planejada um ano antes do fim do prazo dos compromissos assumidos pelos signatários do acordo de Paris 2015.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Cúpula Mundial sobre o Clima em 2019. O anúncio do secretário-geral das Nações Unidas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV