Se fosse possível...

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco ataca o 'desejo de poder', a 'rigidez disciplinar' e a 'deslealdade' nas associações de fiéis, dos movimentos eclesiais e das novas comunidades

    LER MAIS
  • Vacinas, o grande golpe da Big Pharma

    LER MAIS
  • A furiosa e disfarçada guerra pela Água no Brasil

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


29 Junho 2018

O poema é de Alfredo J. Gonçalves, padre carlista, assessor das Pastorais Sociais.

Eis o poema.

Se fosse possível saber o nome
das migrantes submersos e afogados no mar Mediterrâneo,
onde tantos sonhos foram transformados em pesadelos...

Se fosse possível olhar nos olhos
de cada um e deles e decifrar a mistura de esperança e desespero,
fixada de forma brutal nessas faces mudos para a eternidade...

Se fosse possível conhecer os rostos
lendo neles os traços da família, da cultura e dos valores,
sepultados vivos e para sempre as águas traiçoeiras...

Se fosse possível acariciar-lhes as chagas dos pés
marcados pelas areias do deserto e a aridez dos caminhos,
e que agora repousarão ignorados no seio da tormenta bravia...

Se fosse possível penetrar-lhes o coração
e tocar as feridas e cicatrizes causadas pela travessia,
numa migração pontuada de barreiras, acidentes e surpresas...

Se fosse possível ouvir os gemidos de suas almas
pelo fracasso, a impotência e o desaparecimento inútil,
que definitivamente as separou de amigos, parentes e familiares...

Então, sim, tomaríamos consciência de que
não são apenas números, tabelas, gráficos e estatísticas;
não são apenas vítimas anônimas do acaso ou do destino,
não são apenas peças de uma reposição automática
no xadrez férreo, pétreo e perverso da economia globalizada...

Ao contrário, são sujeitos intrépidos na construção de um futuro,
artífices de um amanhã que os deixou para trás, mas segue sua rota;
profetas que denunciam as contradições da geopolítica mundial
e anunciam a urgência de mudanças nas relações internacionais;
protagonistas de uma sociedade onde, em lugar do passaporte,
a cidadania será assegurada pela certidão de nascimento.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Se fosse possível... - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV