Mons. Jordi Bertomeu volta ao Chile para nova missão

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • Calmaria antes da tempestade: antecipando o plano radical de um papa reformista para reduzir a Cúria Romana

    LER MAIS
  • Lula solto poderia tirar militares do controle, diz comandante do Exército: “Estávamos no limite”

    LER MAIS
  • “Atualmente, o ser humano vive como um animal em cativeiro”. Entrevista com José Luis Padilla

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

31 Maio 2018

O sacerdote espanhol Mons. Jordi Bertomeu Farnós, 50 anos, oficial da Congregação para a Doutrina da Fé, prepara-se para voltar ao Chile, onde permaneceu por vários dias, junto com o enviado especial do papa, Dom Charles Scicluna, arcebispo de La Valleta (Malta), em fevereiro.

A reportagem foi publicada em Il Sismografo, 30-05-2018. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Mons. Bertomeu, pelo período de doença de Dom Scicluna (cirurgia de emergência para remover cálculos biliares), levou em frente a delicada missão resumida, depois, em um relatório de 2.300 páginas com as transcrições de 64 pessoas interrogadas, entre testemunhas, vítimas, bispos, consultores, leigos, religiosos etc.

Foi precisamente esse relatório, mais o material fornecido para uma comissão especial criada pelo papa, a base da informação autônoma que serviu ao Papa Francisco para orientar seus encontros com 34 bispos chilenos entre 15 e 17 de maio no Vaticano. Encontros que, como se sabe, se concluíram com a apresentação pelos prelados do Chile (29 de 31 presentes em Roma) de suas renúncias individuais.

As decisões sobre algumas dessas renúncias também estão previstas para os próximos dias.

A visita e a presença de Mons. Bertomeu, eclesiástico de grande prestígio no Chile, admirado, bem quisto e respeitado por todos, são interpretadas como o início das muitas decisões que deverão levar à cura, à reabilitação e ao renascimento da Igreja chilena.

A figura de Mons. Bertomeu, embora sendo simples sacerdote, é altamente apreciada e respeitada por todos, porque ele é percebido como um executor direto da vontade do papa, sem as velhas e nefastas intermediações do passado. A imprensa chilena enfatiza muito a figura desse presbítero catalão, homem de grande preparação e experiência, a tal ponto que, em inúmeras circunstâncias, pediu-se a sua nomeação como novo núncio, ou como comissário do episcopado, ou como coordenador de transição.

* * *

Mons. Jordi Bertomeu Farnós, há pouco tempo, após sua missão no Chile, nomeado Prelado de Honra de Sua Santidade, nasceu em Tortosa, Espanha, em 1968.

Depois de seus estudos de Direito na Universidade Central de Barcelona, ele entrou no Seminário de Tortosa, onde obteve um diploma qualificado em Teologia. Foi ordenado presbítero em 1995.

É doutor em Direito Canônico, qualificação obtida de modo brilhante na Pontifícia Universidade Gregoriana. Até 2002, prestou serviço pastoral na sua diocese e também como professor de Direito Canônico (Instituto Superior de Ciências Religiosas). Em 2012, foi chamado para trabalhar na Congregação para a Doutrina da Fé.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mons. Jordi Bertomeu volta ao Chile para nova missão - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV