Justiça australiana julgará cardeal Pell por pederastia

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Cardeal Müller: documento vaticano sobre a Amazônia contém heresia e estupidez. “Não tem nada a ver com o cristianismo”

    LER MAIS
  • A história dos 13 agricultores presos por Moro e depois absolvidos

    LER MAIS
  • Vozes que nos desafiam. Maria Madalena, a primeira testemunha da Ressurreição

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

01 Maio 2018

Um compromisso que determinava prazo de 4 semanas para decidir sobre julgamento foi feito em março.

A reportagem é de Ruth Gledhill, publicada por The Tablet, 30-04-2018. A tradução é de Victor D. Thiesen.

O cardeal George Pell vai descobrir amanhã, 1º de maio, se ele será julgado por acusações históricas de ofensas sexuais. (Nota de IHU On-Line: as agências de notícias internacionais, na manhã de hoje, 1o. de maio, informam que o cardeal Pell será julgado por pederastia)

A natureza precisa das alegações, feitas por várias pessoas, não foram divulgadas.

O cardeal Pell, de 76, nega todas as acusações. Ele é atualmente prefeito da Secretariado da Economia do Vaticano, embora tenha estado de licença desde o verão passado.

A magistrada Belinda Wallington anunciará na manhã do dia 1o de maio a sua decisão.

Advogado do cardeal Pell, Robert Richter, disse na audiência que o cardeal estava sendo punido por não impedir o abuso de crianças pequenas em instituições católicas.

Segundo Richter, os incidentes alegados não poderiam ter acontecido na cidade natal de Pell, Ballarat, a oeste de Melbourne, na década de 1970, e nem na Catedral de St Patrick, em Melbourne, na década de 1990.

Wallington disse que acreditava que uma pessoa deveria estar empenhada em ser julgada a menos que houvesse um "defeito fundamental" nas provas. "Eu acho que questões de credibilidade e confiabilidade são assuntos para um júri, exceto quando você chega em um ponto onde a credibilidade é efetivamente aniquilada", disse ela.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Justiça australiana julgará cardeal Pell por pederastia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV