A cada 19 horas, uma pessoa LGBT é assassinada ou se suicida no Brasil

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Vozes que desafiam. Dorothy Stang, profetiza e mártir da Amazônia

    LER MAIS
  • Pacto das Catacumbas pela Casa Comum. Por uma Igreja com rosto amazônico, pobre e servidora, profética e samaritana

    LER MAIS
  • A ideologização da Sociologia (além de uma simples distração). Artigo de Carlos A. Gadea

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

25 Abril 2018

Interessados em debater questões relacionadas à diversidade, e como este tema está, efetivamente, inserido dentro das empresas, tem até quinta-feira (26) para participar da 2ª Conferência Internacional da Diversidade e Turismo, evento promovido pela Câmara LGBT (Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil) com o objetivo de ser um grande encontro para troca de experiências, apresentação de cases de sucesso e de práticas implementadas por diferentes organizações que estimulam a dissolução da discriminação às pessoas LGBT.

A reportagem é de Claudia Pereira, publicada por O Estado de S. Paulo, 25-04-2018.

Para quem acredita que esta é uma discussão sem fundamento, os números a respeito da violência contra essas pessoas não deixam dúvidas sobre a importância do debate. Segundo dados do Grupo Gay da Bahia (GGB), associação que se dedica, entre outras coisas, a fazer um levantamento detalhado sobre a violência contra este público, registrou desde o começo deste ano até a segunda semana de abril um total de 126 crimes violentos (mortes) praticados contra LGBTs no Brasil. Isso significa que, a cada 19 horas, um LGBT é assassinado ou se suicida em nosso país. De acordo com a entidade, 52% dos homicídios contra LGBT no mundo ocorrem em terras brasileiras.

Em 2017, a organização registrou 445 mortes documentadas, um crescimento de 30% em relação ao ano anterior, com 343.

Em seu evento, a Câmara LGBT faz um recorte deste debate e convida empresas, entidades, poder público e pessoas em geral para essa discussão a fim de pensar novas práticas para que o respeito à diversidade seja uma constante.

Ricardo Gomes, presidente da Câmara LGBT, aponta que empresas nacionais ou estrangeiras com sede no Brasil e com políticas relacionadas à diversidade precisam começar a divulgar seu comprometimento com a causa para clientes e pretensos clientes, seja para negociações B2B ou B2C.

“Da mesma forma que LGBTs deixam de adquirir produtos e serviços de empresas que se posicionem a favor da LGBTfobia, é chegado o momento dos LGBT priorizarem empresas que se posicionem a favor da diversidade. Por isso se faz necessário que as empresas tornem públicos os seus compromissos. A Conferência, bem como a Câmara, são territórios férteis para este posicionamento”, comenta Gomes.

Dentre os temas debatidos, destaque para “Diversidade nos Espaços Corporativos: Uma Reivindicação de Direitos Humanos e da Legitimidade e Eficiência dos Resultados”, “Famílias Formadas por Pessoas LGBTI+: A Resistência pelo Afeto” e “Políticas Públicas LGBT e o Desafio da Interiorização”, todas nesta quarta (25). No último dia, 26, vale ficar de olho nos painéis “Executivos LGBT+ Os Principais Desafios em ser um Executivo LGBTI + Cases de Inclusão”, “Futuros Líderes LGBT+ Como Se Destacar Em Um Ambiente Inclusivo” e “Benchmark em Comunicação e Marketing”. Confira a programação completa aqui.

Dentre as empresas participantes em palestras, debates e painéis estão Avon, Monsanto, Ambev, SAP, Cargill, Braskem e KPMG.

A 2ª Conferência Internacional da Diversidade e Turismo ocorre na Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2.500, bairro Sumaré) e tem entrada gratuita. As inscrições podem ser feitas aqui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A cada 19 horas, uma pessoa LGBT é assassinada ou se suicida no Brasil - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV