Memento para Marielle, assassinada pela repressão

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • Ser cristão em tempos de violência. Padre Casimiro é assassinado brutalmente em Brasília

    LER MAIS
  • Fracassou o ‘contra-sínodo’ sobre a Amazônia, programado em Roma por Bolsonaro

    LER MAIS
  • Por que universidades da Europa estão banindo carne bovina de seus restaurantes

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

17 Março 2018

Marielle presente!

Teu sacrifício acenderá as consciências de um país embotado e teu sangue jorrando abrirá “las grandes avenidas. La historia es nuestra, la hacen los pueblos”(Allende na despedida).

Tu serás nossa estrela-guia, maravilhosa filha nagô.

Uma de nós, menos uma voz de nós, mais uma silenciada, executada, mais uma que é nós, que ata, que peita, que brada, mais uma açoitada a tiros, como a chibata que açoitava o couro preto, que reluz em nós, escravizadas, aprisionadas, hoje assassinadas, dizimadas,pelo mesmo algoz. Mas seu eco é grande, sua imagem é nossa, seu nome é imenso, é Mar. E ele não a matará dentro de nós. Guerreiras como vós,unidas e fortes, nós não calaremos. Venceremos, te honraremos,até que não reste vestígio sequer deste bruto algoz.

(Poema de Larissa de Paula Couto Pela memória de Marielle Franco, 14-03-2018).

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Memento para Marielle, assassinada pela repressão - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV