'Caso simbólico, Marielle pode servir de inspiração', diz especialista

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “Ao Papa o nosso abraço fraterno de irmãos e irmãs”. Pronunciamento da CRB Nacional

    LER MAIS
  • Bolsonaro nomeia integrante da Opus Dei para diretoria da Ancine

    LER MAIS
  • Francisco conclui o texto sobre o Sínodo amazônico; publicação deve sair em poucas semanas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

16 Março 2018

Integrante do Comitê Brasileiro de Defensoras e Defensores de Direitos Humanos, articulação de ao menos 23 entidades de ativistas sociais, Deborah Sabará lamentou a morte de Marielle Franco. Para ela, o caso, apesar de chocar, reforça a necessidade de mobilizações pela defesa dos direitos humanos, e pode inspirar jovens diante do simbolismo e do que representava a atuação da vereadora no Rio.

A entrevista é de Marco Antônio Carvalho, publicada por O Estado de S. Paulo, 16-03-2018.

Eis a entrevista.

Como o crime afeta a rotina de quem atua pelos direitos humanos no País?

O assassinato de Marielle, ao mesmo tempo em que choca e traz medo, leva a uma mobilização nacional. Parece-me que as pessoas acordaram e atos grandiosos se espalharam pelo País. O crime ataca a essência da defesa dos direitos humanos e representa a execução de um plano arquitetado contra essas políticas. A nossa marca é ter essa forma de atuação enraizada e a única forma de anular isso é o assassinato, o extermínio. Foi isso que aconteceu e é sobre o que temos falado há anos, sobre uma realidade de violência que já denunciamos e que tem ela como vítima agora.

E como o caso pode motivar ativistas a seguir atuando?

Eu era criança quando Chico Mendes morreu, um caso histórico. Ele me despertou sobre a importância da defesa do meio ambiente. Veio a Irmã Dorothy, com a defesa pela terra. A morte de Marielle vem marcar um momento de luta política em meio a retrocessos e corrupção. É um momento marcante e emblemático e que pode levar ao reconhecimento da necessidade de luta e ativismo para os jovens de hoje. A nossa luta é reforçada agora. A mobilização tem de continuar para que mais defensores de direitos humanos se assumam como tais.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

'Caso simbólico, Marielle pode servir de inspiração', diz especialista - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV