“Já aderindo à reforma trabalhista”, mercado contrata intermitente por R$ 115,44 ao mês

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • Tuitadas

    LER MAIS
  • Adaptando-se a uma ''Igreja global'': um novo comentário internacional sobre o Vaticano II. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Assim arma-se a próxima crise financeira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

27 Novembro 2017

Os capitalistas de todo o país estão comemorando a reforma trabalhista no espírito de "precarização pouca é bobagem" e parecem estar numa competição para ver quem é capaz de aproveitar mais a destruição da CLT para contratar de forma mais absurda os trabalhadores.

A reportagem foi publicada por EsquerdaDiario, 26-11-2017.

Dessa vez a bizarra "oferta" de emprego vem do Ceará, dos Supermercados Centerbox, que faz questão de já no anúncio de emprego atribuir a "oportunidade" de trabalho às mudanças implementadas pela reforma. A empresa diz, cinicamente: "O Grupo Centerbox Supermercados já aderindo a reforma trabalhista e com o intuito de gerar mais emprego e renda (???) no mercado cearense, irá contratar mais de 50 COLABORADORES para a função de OPERADOR DE CAIXA INTERMITENTE".

Aparentemente o termo colaborador foi escolhido por se tratar de um trabalho quase voluntário. Por R$ 4,81 a hora, o mercado quer funcionários que irão receber R$ 115,44 por mês.

Veja o anúncio abaixo: 

Esse emprego, como outros que vêm surgindo às centenas, tal como esse, numa livraria por R$ 7 a hora; ou esse, para trabalhar em restaurantes a R$ 4,45 (R$ 180 por mês); e também na Magazine Luiza, são a cara da "livre negociação", do "benefício para todos" e da "modenização" que o governo e a imprensa patronal vinham usando para propagandear a reforma trabalhista de Temer.

Não aceitemos! Vamos construir em todo o país uma forte mobilização no dia 5 de dezembro, exigindo dos sindicatos e centrais que convoquem assembleias em todos os locais de trabalho para organizar a luta. Vamos derrubar essa legalização da semi-escravidão!

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Já aderindo à reforma trabalhista”, mercado contrata intermitente por R$ 115,44 ao mês - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV