O sucessor de Georg Ratzinger em Regensburg define-o como “impulsivo e fanático”

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • “Uma nova educação para uma nova economia”: Prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz, ministrará videoconferência nesta quinta-feira

    LER MAIS
  • O enorme triunfo dos ricos, ilustrado por novos dados impressionantes

    LER MAIS
  • Família Franciscana repudia lei sancionada por Bolsonaro que declara o dia 04 de outubro, dia de São Francisco de Assis, como dia Nacional do Rodeio

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

21 Julho 2017

Georg Ratzinger, irmão de Bento XVI e ex-diretor do coro católico alemão de Regensburg, onde mais de 500 meninos sofreram abusos, era um homem “impulsivo e fanático”, “temido” pelos estudantes devido à sua violência, segundo denunciou seu sucessor, Roland Büchner.

A reportagem é publicada por Religión Digital, 20-07-2017. A tradução é de André Langer.

Em uma entrevista concedida ao semanário Die Zeit, Büchner aponta que Ratzinger “impunha sua concepção de disciplina musical”. O irmão do Papa emérito, por sua vez, disse na quarta-feira que nunca tomou conhecimento da violência ou de abusos sexuais sofridos por seus alunos.

“Durante os ensaios, ele era impiedoso. Depois podia ser o homem mais bonachão do mundo. Alguns alunos o viam como um modelo, outros o temiam como alguém que batia”, disse seu sucessor. “Imperava um sistema de medo” no coro criado em 975, segundo Büchner, que reconheceu que sabia dos abusos e lamenta não ter exigido “de maneira mais firme um esclarecimento completo”.

“Não se tratava ‘somente’ de tapas, mas de verdadeiros maus-tratos. Era uma explosão de violência; havia feridas físicas”, afirma Büchner. Um relatório revelou que pelo menos 547 meninos do famoso coro católico alemão de Regensburg foram vítimas de maus-tratos, incluindo violações, entre os anos de 1945 e 1990.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O sucessor de Georg Ratzinger em Regensburg define-o como “impulsivo e fanático” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV