Número de Igrejas santuários para imigrantes irregulares duplicou após a eleição Trump

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • Deveríamos chamar os padres de ''padres''?

    LER MAIS
  • “Este Sínodo, em sua profecia, é fiel aos gritos dos pobres e da irmã Mãe Terra”. Entrevista com Mauricio López

    LER MAIS
  • 'Dizer-se cristão não é o mesmo que ser cristão, é preciso coerência', afirma o Papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

19 Janeiro 2017

As congregações religiosas do país dispostas a oferecer abrigo para imigrantes em situação irregular em suas igrejas dobraram para 800 desde que Donald Trump foi eleito presidente, e espera-se que esse número continue a aumentar.

A informação é publicada por Diario Las Americas, 17-01-2017. A tradução é de Henrique Denis Lucas.

Sarah Launius, porta-voz da Santuary Raising, no Arizona, explicou nesta terça-feira para agência de notícias EFE que a dura postura de Trump durante a campanha presidencial motivou as igrejas a se unirem em uma só frente para proteger suas comunidades.

Este movimento nacional tem o propósito de resguardar os imigrantes ilegais que poderiam ser alvo de deportações em massa durante o governo de Trump, eleito no dia 8 de novembro do ano passado e que toma posse nesta sexta-feira, em Washington.

"Estamos enviando esta mensagem para a nova administração que resistiremos às propostas de deportar milhões de imigrantes irregulares e de discriminar as comunidades marginalizadas", disse à Efe Allison Harrington, reverenda da Igreja Presbiteriana do Sul, na cidade de Tucson, e que é parte da coalizão.

Ela disse que as congregações religiosas uniram-se para oferecer abrigo, se necessário, para todas aquelas pessoas que são alvos de ódio e discriminação.

O número de igrejas e congregações que participam no movimento poderiam aumentar ainda mais caso o governo do republicano cumpra as suas promessas de campanha e inicie uma onda de deportações em massa, assinalaram.

Harrington indicou que o Movimento Santuário se adapta para amparar os imigrantes sem registro não apenas dentro das quatro paredes de uma igreja, mas também dentro de suas comunidades, escolas e locais de trabalho.

Com essa finalidade, elas têm se preparado em conjunto com organizações locais de cada cidade para informar os imigrantes ilegais sobre os seus direitos.

A Igreja Presbiteriana do Sul, em Tucson, é considerada o "berço" do nascimento do Movimento Santuário nos Estados Unidos.

Na década de oitenta, membros desta congregação desafiaram abertamente as políticas migratórias do país dando abrigo a imigrantes irregulares centro-americanos que escapavam das guerrilhas.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Número de Igrejas santuários para imigrantes irregulares duplicou após a eleição Trump - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV