Polônia. Cresce a preocupação com a diminuição de católicos

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Metaverso? Uma solução em busca de um problema. Entrevista com Luciano Floridi

    LER MAIS
  • Comunidades Eclesiais de Base, sim. Artigo de Pedro Ribeiro de Oliveira

    LER MAIS
  • A implementação do Concílio no governo do Papa Bergoglio. Artigo de Daniele Menozzi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


02 Setembro 2021

 

Preocupações sobre o permanente declínio na presença a eventos religiosos foram expressadas na Polônia, onde não mais de 8 mil pessoas são esperadas para participar da beatificação do cardeal Stefan Wyszynsky (1901-1981) e a Madre Roza Czacka (1876-1961), fundadora das Irmãs Franciscanas Servidoras da Cruz, que ocorrerá em Varsóvia, em 12 de setembro.

A reportagem é publicada por The Tablet, 31-08-2021. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

Em uma carta pastoral a ser lida em todas as missas de 05 de setembro, a conferência episcopal polonesa afirma que espera que essas beatificações deem a todos o católicos “intuições proféticas para enfrentar os desafios pastorais”, assim como “para pavimentar novos caminhos e abrir novas perspectivas para a ação” na Igreja polonesa.

No entanto, o anfitrião do evento, o cardeal Kazimierz Nycz, disse que a missa na nova Basílica da Divina Misericórdia na capital, que será presidida pelo cardeal Marcello Semeraro, prefeito da Congregação do Vaticano para a Causa dos Santos, deveria ser “modesta e digna, nos limites da pandemia”, com apenas 2500 bispos, padres e convidados dentro do templo, e em torno de 70 mil pessoas assistindo à cobertura televisiva, que será nacional – mas muito menos que eventos religiosos nacionais anteriores.

O ex-secretário-geral da Comissão das Conferências Episcopais da União Europeia (Comece), o padre Piotr Mazurkiewicz, disse ao Tablet que a cerimônia de beatificação, adiada em 2020, reafirmaria o lugar dos cristãos na vida pública, enquanto também serviria como uma “forma de penitência... chamando para o bem e a aspectos santos da vida cristão” depois dos recentes escândalos de abusos sexuais clericais.

No entanto, em uma homilia no domingo na cidade de Szamotuly, o primaz católico da Polônia, o arcebispo Wojciech Polak de Gniezno, alertou que o país ainda está dividido por “meias-verdades e notícias falsas”, que correm o risco de “destruir relações mútuas, minando a confiança e envenenando a vida social, eclesial e familiar”.

Recentemente, no The Tablet, Derek Scally, correspondente em Berlim do The Irish Times, escreveu uma análise da atual guerra cultural em torno da Igreja Católica na Polônia. Ele escreveu: “Como irlandês, costumava brincar que meu povo era o mais católico do mundo. Pesquisando meu livro de mesmo nome, no entanto, percebi que os poloneses tinham uma forte reivindicação sobre nossa coroa agora manchada. Enquanto a Irlanda está lutando com a glória e a vergonha de seu legado católico em colapso, no entanto, a aliança Igreja-Estado da Polônia está, dependendo da sua perspectiva, alcançando novas máximas – ou mínimas”.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Polônia. Cresce a preocupação com a diminuição de católicos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV