Armando Matteo e a urgência que o Cristianismo enfrenta hoje. Debate em pauta, nesta sexta-feira, no IHU

04 Junho 2021

 

Não é apenas a capacidade de transitar entre diferentes temas da teologia que colocou o padre Armando Matteo em evidência. Seu sacerdócio ainda é jovem, foi ordenado há 23 anos, e sempre trabalhou na Arquidiocese de Catanzaro-Squillace. No entanto, durante a trajetória de formação e pesquisa, entrou em temas importantes para o futuro não apenas da Igreja Católica, mas da fé cristã. O Prof. Dr. Matteo, hoje, leciona na Pontifícia Universidade Urbaniana e, mais recentemente, em março de 2021, foi convocado pelo Papa Francisco para compor a equipe da mais alta cúpula da Doutrina da Fé. Alguns jornalistas, como Luigi Accattoli, apontam que essa nomeação indica que Doutrina não deve ficar apenas na defensiva, mas necessita de ideias novas.

 

Armando Matteo será o primeiro conferencista do XX Simpósio Internacional IHU - A (I)Relevância pública do cristianismo num mundo em transformação, com a palestra  "Presença fragmentada. O mal-estar pós-moderno do Cristianismo", na sexta-feira, 04 de junho de 2021, às 10h. O evento é gratuito e será transmitido pelo Youtube, Facebook, Twitter e Zoom (com opção bilíngue, ou seja, em italiano e tradução para o português).

 

Armando Matteo é autor do livro Presenza Infranta. Il disagio postmoderno del cristianesimo. Assis: Cittadella Editrice, 2008. Prefazione di Elmar Salmann. O importante livro se articula nos seguintes capítulos:

 

 

O XX Simpósio Internacional IHU tem como objetivo geral debater transdisciplinarmente o sentido, os desafios e as possibilidades para o cristianismo, a Igreja, a teologia e fé cristã em meio às grandes transformações que caracterizam a sociedade e a cultura atual, no contexto da confluência de diversas crises de um mundo em transição, um mundo (pós)pandêmico.

 

E nos últimos vinte anos, esse tema esteve presente nas pesquisas do Prof. Matteo. Em sua primeira entrevista concedida ao Instituto Humanitas Unisinos - IHU, em 2012, a qual respondeu em conjunto com a Profa. Dra. Maria Benedetti Zorzi, afirmou: "Estamos em um período de encastelamento. Esperamos que se trate de uma fase normal a ser lida com os tempos de uma história muito maior do que nós. Todos os Concílios de grande reviravolta, como o de Niceia, envolveram longuíssimos anos antes de serem realmente 'digeridos'. O mesmo vale para o Vaticano II. Hoje se acredita que a proposta de uma identidade forte, quase a ser contraposta ao mundo e à cultura, é a escolha vencedora. Deixemos que a história julgue".

 

Prof. Dr. Armando Matteo. Foto: Missionari Saveriani

 

Matteo apresenta com profundidade a relação entre o futuro do cristianismo com os jovens. Segundo o professor a sua tese central é: 

Cabe ressaltar, o trabalho sobre a pastoral juvenil não é um assunto único, mas entrecruzado com as demais questões da sociedade e da teologia. Essa é uma das características do seu pensamento, entrar e estar em diálogo com diferentes setores. "A verdade não é a mesma coisa em nível filosófico ou científico: há diversos modos de entrar em contato com ela. A fé precisa da filosofia, da literatura, da ciência e da arte. O homem de fé não esgota a inteireza da vida humana: outras questões permanecem em aberto, a serem enfrentadas com abordagens diferentes. À fé, cabe a resposta escatológica, em que o limite e o infinito se encontram, o que na teologia é definido como 'o já e o ainda não'. Pensar sobre o caráter analógico da fé permite que se entre em diálogo com o outro, e não fingir que se dialoga", declarou em entrevista publicada pelo IHU.

 

Em seus livros abordou o futuro da fé sobretudo da crise de adultos. Para Matteo, a sociedade não tem criado adultos, e sem os adultos não há acompanhamento e transmissão da fé para os jovens. Por isso ele destaca a necessidade de criação de uma nova Pastoral (Pastoral 4.0, ou Pastoral do Cruzamento), que dialogue e que crie processos que permitam acolher a todos como cristãos.

 


Livros de Armando Matteo

 

"Hoje, o adulto não representa mais o polo de cumprimento e de maior esplendor da existência humana: ele literalmente eclipsou, comprometendo radicalmente a transmissão da fé entre gerações", escreve em seu livro “Pastoral 4.0: eclissi dell’adulto e trasmissione delle fede alle nuove generazioni” [Pastoral 4.0: eclipse do adulto e transmissão das fés às novas gerações], (Ed. Àncora, 2020).

 

"Mais francamente, será preciso reconhecer que talvez seja somente assim que, hoje, podemos esperar que as pessoas se tornem adultas. De fato, pelo fato de ser um lugar onde as pessoas se tornam cristãs, permitindo que cada um se cruze amorosamente com Jesus, a comunidade eclesial é chamada a se tornar, ao mesmo tempo, lugar generativo de jovens que assumem a forma adulta do humano; e de adultos que podem redescobrir novamente a beleza imperdível que está conectada com a dimensão adulta do humano, apressadamente demais jogada fora com a água suja das antigas condições de vida adulta para se dedicar ao nefasto culto da juventude", escreve em artigo publicado pelo IHU.

 

Em um mundo secularizado, que vive crises sem precedentes e de impactos catastróficos ao globo e às relações sociais, o cristianismo pode se tornar ainda mais irrelevante, ou, para repensar seu papel, teólogos como Armando Matteo estão se propondo a inovar.

Para acompanhar a palestra do Prof. Dr. Armando Matteo no XX Simpósio Internacional IHU, acesse o vídeo abaixo, a partir de sexta-feira, 04 de junho de 2021, às 10h de Brasília.

 

 

Logo do Ano Inaciano.

 

Leia mais

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV