Covid-19: Caritas Internationalis pede a convocação de uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para garantir o acesso igualitário às vacinas

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Uma visão do suicídio no Brasil em resposta à outra visão apresentada

    LER MAIS
  • "É hora de reaprender a arte de sonhar com os xamãs nativos"

    LER MAIS
  • Não tenho nenhuma esperança de que o Governo Bolsonaro ainda se empenhe em transmutar sua visão a respeito da Amazônia. Entrevista com Dom Erwin Krautler

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


09 Fevereiro 2021

A Cáritas Internationalis pediu às Nações Unidas que pressione os países do Norte para uma distribuição equitativa das vacinas para a Covid-19 e convoque uma reunião do Conselho de Segurança para “abordar a questão do acesso às vacinas como um problema de segurança global”.

A reportagem é publicada por Ecclesia, 05-02-2021.

“Convocar uma reunião do Conselho de Segurança para abordar a questão do acesso às vacinas como um problema de segurança global com decisões políticas firmes baseadas no multilateralismo” é a primeira proposta assinada pelos cardeais Luis Antonio Tagle e Peter Turkson, presidente da Caritas Internationalis e Prefeito do Dicastério para a promoção Integral do Desenvolvimento Humano respetivamente.

O apelo dirigido às Nações Unidas e à Comunidade Internacional propõe que a dívida dos países pobres seja revista e investida em infraestruturas de saúde pública e afirma a necessidade de proteger os que estão “mais expostos ao vírus”.

“Os pobres, as minorias, os refugiados, os marginalizados são os mais expostos ao vírus. Cuidar deles é uma prioridade moral porque abandoná-los, coloca em risco a comunidade global. O nosso bem-estar coletivo depende de como nos importamos com os últimos”, afirma um comunicado enviado hoje à Agência Ecclesia.

O documento afirma-se que “no mundo interconectado, as vacinas devem ser disponibilizadas de forma equitativa” e apela-se aos políticos para “olharem além dos interesses das suas nações e grupos políticos”.

“Abordar a questão das vacinas numa perspectiva de uma estratégia nacional estreita pode levar a uma falha moral no atender às necessidades dos mais vulneráveis ​​em todo o mundo”, sublinham.

Os responsáveis sugerem ainda o envolvimento de “atores locais” no combate à pandemia, nomeadamente organizações ligadas à Igreja católica que “têm as estruturas básicas e o contato necessário com as pessoas mais vulneráveis, como migrantes, deslocados internos e marginalizados”.

A Caritas Internationalis destaca ainda a importância da produção localizada das vacinas em África, na América Latina e na Ásia, como forma de “acelerar o processo” de distribuição.

O envolvimento das organizações locais permite ainda, indicam, “garantir a preparação da conscientização e capacitação das comunidades”, com vista à sua preparação no “acesso a cuidados preventivos”.

A Caritas Internationalis recorda ainda o encorajamento do Papa Francisco para a vacinação como forma de exercício responsável pelo “bem-estar coletivo”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Covid-19: Caritas Internationalis pede a convocação de uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para garantir o acesso igualitário às vacinas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV