ONU diz que pecuária é ameaça ao clima global

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • O fenômeno dos padres fisiculturistas e estrelas das redes sociais

    LER MAIS
  • Francisco para os pais e mães de homossexuais: “A Igreja ama os vossos filhos do jeito que eles são, porque são filhos de Deus”

    LER MAIS
  • “O Papa me disse: Deus ama os filhos homossexuais como eles são”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Março 2020

A Organização das Nações Unidas (ONU) disponibilizou ontem (9) um vídeo em seu canal no YouTube qualificando a pecuária como ameaça ao clima global.

A reportagem é publicada por Vegazeta, 10-03-2020.

“Em relação às mudanças climáticas, a principal causa do aumento das emissões dos gases do efeito estufa é a criação de animais para alimentação”, destaca a ONU.

 

Para falar sobre o assunto, a organização convidou o CEO Patrick O. Brown, da Impossible Foods, e o CEO Ethan Brown, da Beyond Meat, duas startups de destaque no mercado de produtos à base de vegetais que imitam alimentos de origem animal nos EUA.

“O uso de animais para a alimentação é o maior dos desafios ambientais. Esqueça a imagem das usinas hidrelétricas, elas não chegam nem perto. Mas é curioso que elas tenham tal oponente”, diz Patrick O. Brown.

E acrescenta: “Não existe nenhum cenário para prevenir as catastróficas mudanças climáticas em que não haja uma ampla redução na escala da pecuária.”

Ethan Brown concorda e reforça que a estatística que ele jamais esquece é de que 80% da área agricultável dos Estados Unidos é reservada ao pasto e ao cultivo de ração para alimentar os animais que mais tarde serão abatidos e reduzidos à carne.

“Se pudéssemos estalar os dedos e fazer essa indústria desaparecer, o que eu faria rapidamente se eu pudesse, a recuperação da biomassa vegetal daquela área iria começar a diminuir a concentração de gás carbônico na atmosfera, algo que as pessoas nem contemplam como possibilidade”, frisa o CEO da Impossible Foods.

Mas e a realidade no Brasil?

Além da já conhecida associação do desmatamento da Amazônia com a criação de gado, em 2017, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que o Brasil já contava com mais de 350 milhões de hectares ocupados pela agropecuária – mais de 40% do território brasileiro.

A pesquisadora da Embrapa, Sandra Furlan Nogueira, informou que à época 172 milhões dos mais de 200 milhões destinados às pastagens já sofriam as consequências da degradação associada ao mau uso da terra. Isso pode explicar o interesse cada vez mais crescente de agropecuaristas de várias regiões do Brasil pelas terras ainda virgens da Amazônia.

Além disso, o Brasil, com uma cultura predominante de pecuária extensiva, tem uma criação comercial de 213,5 milhões de bovinos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Agora imagine 93% desses animais ocupando pastagens em um país onde cada boi utiliza, em média, 1,2 hectare, conforme dados da Embrapa. Isso significa, 256,2 milhões de hectares do território brasileiro destinados somente à criação de bovinos para consumo, onde florestas de diferentes biomas foram derrubadas.

Convertendo áreas de pastagens em quilômetros quadrados, chegamos ao total de 2,562 milhões, que ultrapassa 30% da extensão territorial do Brasil, que é de 8,511 milhões de quilômetros quadrados. Tudo isso dedicado a um único produto – a carne bovina.

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

ONU diz que pecuária é ameaça ao clima global - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV