Sangue animal derramado no Rio Vermelho, em Goiás, saiu de frigorífico da JBS

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “Da crise não saímos iguais. Ou saímos melhores ou saímos piores”, afirma Papa Francisco na ONU

    LER MAIS
  • Vaticano. Aos irmãos de Becciu 1,5 milhão de euros do dono de empresa de petróleo angolano

    LER MAIS
  • Pós-humano: o desafio de falar do humano e de seu valor. Mudança de época. Artigo de Paolo Benanti

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


02 Março 2018

O sangue animal derramado no Rio Vermelho, no Estado de Goiás, saiu de um frigorífico da JBS. Os 10 mil litros do líquido eram transportados da unidade da empresa, em Mozarlândia para o município de São Luís de Montes Belos.

A reportagem é de Nanny Cox, publicada por Jovem Pan, 01-03-2018. 

A carga teria como destino uma empresa de rações, já que o sangue de boi é utilizado na fabricação de alimentos animais.

O acidente aconteceu na última sexta-feira e manchou o leito de um dos rios mais importantes do estado de Goiás.

O diretor-técnico da prefeitura Pedro Alves Vieira explicou o que as investigações apontaram até o momento. O incidente não será classificado como crime ambiental porque o derramamento não causou danos ambientais, como a mortandade de peixes.

De acordo com o delegado Luziano Severino de Carvalho, da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente, o caso caminha para o arquivamento.

A mancha de sangue já não pode ser vista no centro histórico da cidade de Goiás. Por se tratar de um material biodegradável e não tóxico, a tendência é que o sangue seja dissolvido por completo automaticamente.

Em contato com a Jovem Pan, a JBS encaminhou uma nota de posicionamento:

“A JBS esclarece que não é responsável pela carga citada. A Companhia reitera que todas as suas vendas são feitas de acordo com os critérios legais, o que inclui também a emissão de nota fiscal”.

Leia mais