3 etapas para a implementação de uma economia circular

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Os católicos ainda leem? Sinodalidade e a “Igreja que escuta” nesta era digital. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Estou obcecado pelo Evangelho. O Evangelho não é Religião. Artigo de José María Castillo

    LER MAIS
  • Tenho medo dos padres

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


20 Novembro 2019

Estima-se que o Brasil perca mais de R$ 8 bilhões por ano em materiais que vão para aterros e lixões ao invés de serem reciclados, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Esse é um cenário que pode ser mudado com a adoção da economia circular.

A reportagem é de Renato Fugulin, publicada por EcoDebate, 18-11-2019.

Nesse sentido, não se deve pensar somente na reciclagem e quem explica isso é Assunta Camilo, diretora do Instituto de Embalagens. “A reciclagem é a última fase do ciclo de vida de uma embalagem. A economia circular deve estar presente em todas as etapas da cadeia, desde o seu design até o descarte”.

1 – Educação ambiental

Grande parte do trabalho para implementação de uma economia circular vem da educação ambiental. Se por um lado já existe uma crescente preocupação com a sustentabilidade, o reaproveitamento de algumas embalagens segue baixo. É o caso das plásticas, que de acordo com o CEMPRE Review 2019, têm uma taxa de reutilização de somente 56,8%. “Abordar o tema em escolas, ter embalagens que sirvam como ferramenta de orientação do descarte adequado e a busca por iniciativas inovadoras de conscientização e sustentabilidade contribuem para que a economia circular seja incorporada pela sociedade”, afirma Assunta.

2 – Design e processos sustentáveis

Mesmo antes de saírem do papel, há vários aspectos que devem ser considerados para a fabricação de uma embalagem:

• Embalagens feitas a partir de um único material são mais fáceis de serem recicladas;

• Evitar a utilização de elementos tóxicos para sua fabricação ou descarte;

• Energia (de preferência renovável) gasta na logística de obtenção, transporte e reciclagem de materiais;

• Conservação do produto e maximização da vida útil da embalagem, tendo em mente o ciclo de vida de ambos;

• Informações sobre materiais e orientações sobre descarte adequado no rótulo;

• Destino e reaproveitamento dos materiais por outras indústrias caso não seja possível utilizá-los para fabricar uma nova embalagem.

3 – Da prateleira à reciclagem

Não são só as empresas que têm papel fundamental na economia circular. Tanto no momento da compra quanto do descarte, o consumidor deve estar atento a alguns detalhes:

• Dados sobre os materiais que compõem os elementos da embalagem e seus respectivos destinos (ex: rótulo feito de PVC e embalagem de PET);

• Separar os elementos da embalagem de acordo com a cor e material para que não haja qualquer tipo de “contaminação”, dificultando assim sua reciclagem (ex: os itens mais escuros acabam sujando os mais claros);

• Descartar os materiais nas cestas de resíduos corretas: azul para papel, vermelho para plásticos, amarelo para metais (alumínio e aço), verde para vidros e cinza para resíduos comuns que não podem ser reciclados.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

3 etapas para a implementação de uma economia circular - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV