Jesus salvará a sua igreja

Revista ihu on-line

Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

Edição: 505

Leia mais

Pier Paolo Pasolini Um trágico moderno e sua nostalgia do sagrado

Edição: 504

Leia mais

A ‘uberização’ e as encruzilhadas do mundo do trabalho

Edição: 503

Leia mais

Mais Lidos

  • A cada porrada em dependente de crack, o metro quadrado sobe de preço em SP

    LER MAIS
  • Exceto o poder, tudo é ilusão. Artigo de Raúl Zibechi

    LER MAIS
  • CNDH levanta hipótese de vingança de policiais em massacre de Pau D’Arco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

21 Abril 2017

A leitura que a Igreja propõe neste domingo é o Evangelho segundo João 20, 19-31 que corresponde ao Segundo Domingo de Páscoa, ciclo A do Ano Litúrgico. O teólogo espanhol José Antonio Pagola comenta o texto. 

Eis o texto

Aterrados pela execução Jesus, os discípulos refugiam-se numa casa conhecida. De novo estão reunidos, mas já não está com eles Jesus. Na comunidade há um vazio que ninguém pode preencher. Falta-lhes Jesus. A quem seguirão agora? Que poderão fazer sem Ele? “Está anoitecendo” em Jerusalém e também no coração dos discípulos.

Dentro da casa estão “com as portas bem fechadas”. É uma comunidade sem missão e sem horizonte, encerrada em si mesma, sem capacidade de acolhimento. Já ninguém pensa em sair pelos caminhos a anunciar o reino de Deus e curar a vida. Com as portas fechadas não é possível aproximar-se do sofrimento das pessoas.

Os discípulos estão cheios de “medo dos judeus”. É uma comunidade paralisada pelo medo, em atitude defensiva. Eles só vêm hostilidade e rejeição por toda parte. Com medo não é possível amar o mundo como o amava Jesus nem infundir a ninguém alento e esperança.

De repente, Jesus ressuscitado toma a iniciativa. Vem resgatar seus seguidores. “Entra na casa e coloca-se no meio deles”. A pequena comunidade começa a transformar-se. Do medo passam à paz que lhes infunde Jesus. Da obscuridade da noite passam à alegria de voltar a vê-Lo cheio de vida. Das portas fechadas vão passar rapidamente a anunciar por todas partes a Boa Nova de Jesus.

Jesus fala-lhes colocando naqueles homens toda sua confiança: “Como o Pai me enviou, assim também Eu vos envio”. Não lhes diz de quem aproximar-se, que devem anunciar, nem como devem atuar. Já aprenderam dEle pelos caminhos da Galileia. Serão no mundo o que Ele foi.

Jesus conhece a fragilidade dos seus discípulos. Muitas vezes os criticou na sua fé pequena e vacilante. Necessitam a força do Espírito Santo para cumprir a sua missão. Por isso faz com eles um gesto especial. Não lhes impõe as mãos nem os abençoa como aos doentes. Exala seu alento sobre eles e diz-lhes: “Recebei o Espírito Santo”.

Só Jesus salvará a sua Igreja. Só Ele nos libertará dos medos que nos paralisam, quebrará os esquemas aborrecidos em que o pretendemos encerrar, abrirá tantas portas que fechamos ao longo dos séculos, endireitará tantos caminhos que nos têm desviado Dele.

O que se nos pede é reavivar muito mais em toda a Igreja, a confiança em Jesus ressuscitado, mobilizar-nos para colocá-lo sem medo no centro das nossas paróquias e comunidades, e concentrar todas as nossas forças em escutar bem o que o Seu Espírito diz hoje aos seus seguidores.

Aprofunde sua reflexão...

Do medo à paz na comunidade

O amor fiel do Ressuscitado

Meu Senhor e meu Deus!

Ressurreição de Jesus, Ressurreição cósmica

Acesse outros Comentários do Evangelho: clique aqui

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Jesus salvará a sua igreja