Mais de 55.000 pessoas assinam iniciativa em favor de Francisco

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Nice, consternação no Vaticano com a bofetada à fraternidade humana

    LER MAIS
  • Naturalizamos o horror? Artigo de Maria Rita Kehl

    LER MAIS
  • Católicas, sim, pelo Direito de Decidir!

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


17 Novembro 2017

Uma carta para expressar apoio ao Papa Francisco: quem a assinou? Por enquanto, mais de 55 mil pessoas. A iniciativa Pro Pope Francis começou com o teólogo pastoral vienense Paul Michael Zulehner e o filósofo das religiões tcheco Tomáš Halík. Mas a iniciativa foi levada em consideração no Vaticano?

A reportagem é de Thomas Seiterich, publicada no sítio Publikforum.de, 11-11-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

“Estimadíssimo Papa Francisco”, com estas palavras começa a carta de apoio. E assim o tom é dado. O texto curto, que pode ser lido e compreendido em dois minutos, apela ao mainstream da Igreja Católica. O grupo que é exortado é o das pessoas “abertas” ou, como diz Zulehner, é “a maioria que até agora ficou em silêncio”, que pode encontrar nesta carta de apoio uma possibilidade de agir. Por isso, ela é muito breve e sem notas de rodapé. Mas a situação, de acordo com os proponentes Zulehner e Halík, é séria.

“As suas (do Papa Francisco) iniciativas pastorais e as suas justificativas teológicas estão atualmente sob um ataque veemente de um grupo de pessoas na Igreja. Com esta carta aberta, queremos expressar a nossa gratidão pela sua liderança papal corajosa e teologicamente fundamentada.”

A iniciativa foi levada em consideração pelo papa? “Sim, supõe-se que sim”, responde o padre Bernd Hagenkord, jesuíta e diretor do setor de língua alemã da Rádio Vaticano. Outros jornalistas vaticanistas entrevistados pelo Publik-Forum em Roma também concordam. Mas não dão muita importância ao fato. Por quê?

Católicos conservadores e ativistas tradicionalistas da América do Sul e do Norte há muito tempo já recolheram números ainda maiores de assinaturas contra Francisco e a sua linha sobre os temas do matrimônio e da família. É preciso que venha algo bem diferente de Viena! Muitos, portanto, permanecem simplesmente em uma posição de espera.

No entanto, para o Papa Francisco, atacado pelos conservadores, a iniciativa de Zulehner e Halík é útil, cujo número de signatários cresce em mais de 2.000 por dia.

O ataque dos conservadores no Vaticano tem como alvo fundamentalmente a nota 352 da exortação pós-sinodal de Francisco, Amoris laetitia. Porque, naquela nota, o papa prepara o caminho em muitos “casos particulares” para a possibilidade de que católicos divorciados em segunda união possam comungar.

Porém, a lua de mel entre a mídia e Francisco, que durou surpreendentemente por muito tempo, parece se aproximar do fim. Muitos jornais – como o Frankfurter Allgemeine Zeitung ou o New York Times – dão prioridade aos críticos do papa. E, embora não seja um fato extraordinário que um papa progressista seja confrontado por uma onda de protesto global por parte de eclesiásticos de direita, a mudança de atitude da mídia dá a entender como é conflitual a situação em Roma. Ainda mais que Francisco não envia nenhum sinal de anulamento da linha de abertura da Igreja sob a sua orientação.

Como seguir em frente? Quase completamente sem qualquer organização, a iniciativa vienense reúne, a cada dia, muitos novos simpatizantes. No dia 9 de novembro, ela foi assinada pelo primeiro bispo auxiliar alemão, Matthäus Karrer, de Rottenburg-Stuttgart. E, ao lado da Ir. Lea Ackermann, de Pierre Stutz, do político Volker Beck, dos Verdes, do editor do Publik-Forum, Wolfgang Thierse, e de Thomas Sternberg, presidente do Comitê Central dos Católicos Alemães, há também a assinatura do vigário-geral da diocese de Essen, Klaus Pfeffer.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mais de 55.000 pessoas assinam iniciativa em favor de Francisco - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV