Papa Francisco: com os pentecostais o "ecumenismo do poliedro"

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco condena perseguição antigay e está preocupado com “cura gay”

    LER MAIS
  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS
  • Católicos e anglicanos - Trabalhar juntos para bem da humanidade, diz secretário do Vaticano

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

27 Junho 2017

"A dinâmica dos encontros entre Francisco e os pentecostais foi a do ‘ecumenismo do poliedro'". Esta foi a declaração do padre Diego Fares em uma entrevista publicada na última edição de "La Civiltà Cattolica".

A informação é publicada por Servizio Informazione Religiosa - SIR, 22-06-2017 . A tradução é de Luisa Rabolini.

Para o jesuíta, "o espírito desses encontros - no Circo Máximo e na pequena comunidade de Caserta – fizeram brilhar a unidade em uma diversidade que o Espírito cria e, ao mesmo tempo, harmoniza". O jesuíta recorda que "a relação entre Jorge Mario Bergoglio e o movimento pentecostal vem de longa data". Trata-se de uma relação que - de acordo com Fares - "tem sido caracterizada desde o início por três aspectos fundamentais: a amizade pessoal; a oração em comum, em que Bergoglio 'entregava-se por inteiro' e não interpunha distâncias com relação à forma pentecostal de rezar; e o compromisso nas obras de misericórdia, ponto que o Cardeal Bergoglio estimulava nos pentecostais, assim como o fazia com os católicos". De fato, "em todos os encontros, tudo o que era recolhido destinava-se a obras de misericórdia".

Depois que se tornou Papa, as relações entre Bergoglio e o movimento pentecostal sempre continuaram, até a recente participação no "Jubileu de Ouro" da Renovação Carismática Católica.

No que diz respeito à relação entre pentecostais e católicos, segundo Fares "os três grandes temas em torno aos quais o Papa e os pentecostais dialogam em um ambiente de amizade no Senhor - caminhar juntos, a unidade como diversidade reconciliada e tocar e servir a carne do Senhor - são temas essenciais, em que o dinamismo supera a paralisia secular, a unidade é maior do que todas as diferenças e a caridade prevalece sobre as disputas intelectuais".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco: com os pentecostais o "ecumenismo do poliedro" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV