Londres. Cardeal Vincent Nichols reza missa para católicos LGBT

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco tem o seu próprio ''Sínodo do Cadáver''

    LER MAIS
  • “A Igreja, e principalmente a Igreja na Amazônia, não será mais a mesma após este Sínodo”. Entrevista com o Pastor Inácio Lemke

    LER MAIS
  • Chile. O orgulho de resistir tomou as ruas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Maio 2015

O cardeal Vincent Nichols foi recebido por uma igreja lotada em Londres, no último domingo, 10 maio de 2015. Ele presidiu a missa agendada para as 18h15min na Farm Street Church, paróquia dirigida por jesuítas, e acolheu católicos LGBT e suas famílias. Essa foi a primeira vez que um arcebispo de Westminster presidiu tal missa que foi concelebrada pelo monsenhor Keith Barltrop, colaborador do cardeal com o grupo de pastoral para católicos LGBT de Westminster, pelo pároco da Farm Street Church, Pe. Andrew Cameron-Mowat SJ, e o Pe. John O'Leary, secretário do cardeal Nichols.

A nota foi publicada na página LGBT Catholics Westminster, 11-05-2015. A tradução é de Claudia Sbardelotto.

A celebração contou com músicas compostas especialmente para o dia, incluindo Live every day in my love, baseada na leitura do Evangelho do dia, e uma nova versão do Salmo 97 que foram cantadas pelo Beacon Music Group, que acompanha as missas de domingo à tarde na Farm Street Church. Membros Conselho Pastoral de Católicos LGBT da arquidiocese de Westminster estavam entre os leitores da liturgia.

Expressando seu prazer em poder celebrar essa missa, o cardeal Nichols destacou as leituras bíblicas do dia: Deus não tem favoritos, mas qualquer um que faz o que é certo é aceitável a Deus. Ao afirmar que na misericórdia e no amor de Deus, todos são aceitáveis ​​e aceitos, o cardeal advertiu contra aqueles que colocam a misericórdia e os mandamentos de Deus contra os outros. É essa compreensão da misericórdia que tanto o Papa Francisco quanto os processos do Sínodo estão nos informando. Os mandamentos não são simplesmente regulamentações impostas do alto, mas indicações de como a misericórdia de Deus pode ser recebida e abraçada à medida que a jornada de transformação a que somos chamados. O cardeal enfatizou que é na Eucaristia que nos tornamos o que vemos: o Corpo de Cristo.

Após a missa, o cardeal passou um tempo com a congregação durante um momento de confraternizão no salão paroquial da Farm Street. O cardeal agradeceu tanto a paróquia quanto o conselho pastoral de Católicos LGBT de Westminster pela caminhada que fazem juntos nesse trabalho pastoral importante.

A fim de respeitar a privacidade da ocasião, foi requisitado de antemão que nenhuma gravação ou fotografias fossem feitas. Posteriormente, verificou-se que alguém presente ignorou o pedido, gravando os movimentos na igreja e no salão. Um porta-voz do Conselho Pastoral de Católicos LGBT de Westminster disse: "O fato de que essa pessoa deliberadamente ignorou o pedido do pároco fala muito de suas intenções e de sua falta de respeito".

A íntegra da homilia do cardeal pode ser lida, em inglês, aqui.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Londres. Cardeal Vincent Nichols reza missa para católicos LGBT - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV