“Cuidar da Criação e viver uma ecologia integral é um dever cristão fundamental”, afirma cardeal Turkson

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • “Uma nova educação para uma nova economia”: Prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz, ministrará videoconferência nesta quinta-feira

    LER MAIS
  • O enorme triunfo dos ricos, ilustrado por novos dados impressionantes

    LER MAIS
  • Família Franciscana repudia lei sancionada por Bolsonaro que declara o dia 04 de outubro, dia de São Francisco de Assis, como dia Nacional do Rodeio

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Jonas | 12 Março 2015

O cardeal Peter Turkson (foto), um dos principais colaboradores do Papa na elaboração de sua próxima encíclica sobre o meio ambiente, reconheceu que existem diferenças sobre as causas da mudança climática, mesmo assim ressaltou que “aquilo que não está em debate é que nosso planeta está aquecendo” e os cristãos têm um dever que remonta aos “antigos ensinamentos bíblicos” para enfrentar o problema.

 
Fonte: http://goo.gl/q8b1I8  

A reportagem é publicada por Religión Digital, 11-03-2015. A tradução é do Cepat.

Em um discurso pronunciado na semana passada, na Irlanda, o presidente do Pontifício Conselho “Justiça e Paz” afirmou que Francisco não está fazendo um chamado político para tomar as armas, nem uma tentativa de fazer com que a Igreja “seja mais verde”.

De seu posto, o Pontífice está dando ênfase aos ensinamentos sociais católicos que relacionam a proteção da vida com a conservação do meio ambiente, declarou Turkson.

“Para o cristão, a preservação da atual obra da criação de Deus é um dever, sem importar quais são as causas da mudança climática”, afirmou Turkson, em seu discurso de quinta-feira, na Pontifícia Universidade St. Patrick, em Maynooth, Irlanda. “Cuidar da criação, desenvolver e viver uma ecologia integral como base para o desenvolvimento e a paz no mundo é um dever cristão fundamental”.

A esperada encíclica será difundida em junho ou julho, e apenas o Papa decidirá o conteúdo do documento definitivo. No entanto, muitos observadores consideram as palavras de Turkson como um adiantamento da encíclica, em razão de seu papel na elaboração do documento.

Austen Ivereigh, autor do livro sobre FranciscoThe Great Reformer” (1), descreveu o discurso de Turkson como a “abertura da cortina” para o que será, ao final, a declaração papal.

Michael Peppard, teólogo da Universidade Fordham, que acompanha de perto as declarações de Francisco sobre o meio ambiente, referiu-se ao discurso de Turkson como “um indicador confiável” do enfoque que o Pontífice adotará.

“A fala do cardeal Turkson, durante um seminário pontifício na Irlanda, foi dirigida a toda a Igreja”, afirmou Bill Petenaude, conferencista de ensinamento católico e meio ambiente no Providence College, em Rhode Island, e autor do blog Catholicecology.net.

Segundo Patenaude, o conselho dirigido por Turkson se dedicou, em especial, para preparar a Igreja e o público para a encíclica, com o objetivo de que esta seja interpretada adequadamente e, portanto, esse discurso deve ser visto como parte dessa preparação.

O texto do discurso do cardeal foi difundido na página de internet da Conferência de Bispos da Irlanda. Ao citar o livro do Gênesis, Turkson disse que os católicos “são exortados para que protejam e cuidem tanto da criação como da pessoa humana”.

“Evidentemente esta não é uma agenda estreita para fazer com que a Igreja e o mundo adotem uma perspectiva ‘verde’. É uma visão de cuidado e proteção que abarca a pessoa humana e o meio ambiente humano em todas as dimensões possíveis”, destacou o cardeal.

Turkson disse que o Papa se viu “incentivado pelas evidências científicas a respeito da mudança climática”, e o cardeal mencionou o relatório sintetizado pelo Grupo Intergovernamental de Especialistas sobre a Mudança Climática adscrito às Nações Unidas.

Nesse documento, divulgado em novembro, conclui-se que a mudança climática está ocorrendo e, em quase a sua totalidade, é responsabilidade do homem.

Turkson reconheceu que há diferenças em torno das conclusões desse painel, mas afirmou que “para o papa Francisco isso não é importante”. O cardeal disse que para o Pontífice importa afirmar “uma verdade revelada” no capítulo 2 de Gênesis, versículo 15, sobre a obrigação sagrada de cultivar e cuidar da Terra.

Nota da IHU On-Line:

  • The Great Reformer: Francis and the Making of a Radical Pope [O Grande Reformador Francisco e a construção de um papa radical, em tradução livre.] de Austen Ivereigh, Henry Holt, 445 p. Acaba de ser publicada a tradução italiana com o título Tempo di Misericórdia. Vita di Jorge Mario Bergoglio. Mondadori, 2014, 450 pp)

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Cuidar da Criação e viver uma ecologia integral é um dever cristão fundamental”, afirma cardeal Turkson - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV