Com videoconferência, o Papa lança a sala de aula do futuro

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • ‘Cultura do descarte e do ódio’ de governantes atuais lembra Hitler, confessa papa Francisco

    LER MAIS
  • Bolívia. “O elemento central da derrubada de Evo Morales não é a direita, mas o levante popular”. Entrevista com Fabio Luís Barbosa dos Santos

    LER MAIS
  • O que suponho que Lula deveria dizer. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 08 Setembro 2014

Uma sala de aula global para os estudantes do futuro. Um espaço criado pela tecnologia que permita transcender os equipamentos e obter uma verdadeira comunhão entre escolas de diversas partes do mundo. Essa é, em resumo, a plataforma global Scholas.social. Criada por sugestão do Papa, foi justamente Francisco o primeiro usuário desta ferramenta durante um encontro no qual houve uma videoconferência com instituições educativas dos cinco continentes.

 
Fonte: http://bit.ly/1tvzT4J  

A reportagem é de Andrés Beltramo Álvarez e publicada no sítio Vatican Insider, 04-09-2014. A tradução é de André Langer.

Tudo aconteceu na tarde da quinta-feira, dia 04 de setembro, durante uma cerimônia na Nova Sala do Sínodo do Vaticano, na qual foi encerrada a Terceira Jornada da Scholas Occurrentes. O encontro, organizado pela Rede Mundial de Escolas para o Encontro, é uma iniciativa internacional promovida pelo Pontífice e que busca criar a solidariedade e a fraternidade entre estudantes de diversas nacionalidades.

“Sonhamos com uma escola que seja a escola dos alunos de hoje, que vai integrar a todos; será a escola global, aquela tornada possível pela tecnologia”, assinalou José María del Corral (foto), um dos presidentes da Scholas Occurrentes, ao apresentar a iniciativa.

Desenvolvida em tempo recorde de seis meses por especialistas das companhias Google, Globant e Line64, a plataforma permitirá a instituições educativas de diversas cidades, países e continentes, intercambiar projetos, compartilhar recursos e comunicar-se interativamente.

“Recuperar a saudável tradição na qual a educação e a escola eram concebidas como algo integral, onde a bola de futebol não era inimiga dos livros, é o sonho que temos. Sonhamos com a escola para os alunos que nascem conectados e em rede, estamos pensando suas salas de aula de hoje”, acrescentou Del Corral.

Lançada inicialmente em inglês, italiano e espanhol, a plataforma aspira a alcançar todos os idiomas possíveis. As instituições unidas serão de diversas culturas e crenças religiosas, sem importar as diferenças.

De acordo com os realizadores, o sítio permitirá que alunos e professores troquem experiências para aprender uns dos outros, assim como compartilhar aqueles projetos que requerem uma mão extra, quer seja de recursos financeiros ou de voluntários. Estes últimos podem recorrer à plataforma e acessar facilmente as escolas e seus projetos para identificar quais são as que mais podem necessitar sua ajuda.

O desenho e a concepção do sítio estiveram a cargo da Globant, ao passo que o Line64 realizou a programação e o Google foi responsável pela integração das ferramentas educativas “Apps para a Educação”.

Adriana Noreña, do Google SpLatam, explicou que atualmente 2,8 bilhões de pessoas têm capacidade de conexão à internet no mundo e outro milhão se integrarão a esse circuito durante o ano de 2015. Acrescentou que os alunos, atualmente, são considerados “100% conectados”, ao passo que 75% dos jovens de entre 12 e 17 anos encontram-se ativos nas redes sociais.

Eles passam em média 7,4 horas diárias na internet, alguns deles podendo – inclusive – ultrapassar a barreira das 10 horas. “Poder-se-ia dizer que estão sempre on-line”, constatou. Precisou que estes jovens buscam ter um controle do conteúdo que utilizam, em sua grande maioria são autodidatas e consomem prioritariamente vídeos, não apenas institucionais, mas também aqueles feitos por seus amigos.

“O estudante de hoje não tem barreiras geográficas; ele utiliza tudo e compartilha em tempo real, tem a capacidade de compartilhar aprendizagens. Por isso, esta plataforma responde às tendências do presente e do futuro”, disse.

Os programadores explicaram que a Scholas.social combina diferentes características das plataformas sociais e colaborativas. Permite aos usuários postar projetos e os encoraja a participar de outras iniciativas doando conhecimento, tempo ou materiais.

A plataforma promove esta participação através de diferentes estratégias de “gamificação”, uma tendência mundial que implica levar as dinâmicas do jogo aos contextos que não são lúdicos para promover o compromisso dos usuários. Em uma segunda etapa do projeto, a Scholas e seus cooperadores continuarão incluindo mais ferramentas e funcionalidades ao sítio para continuar construindo a Sala de Aula do Futuro.

Veja também o vídeo: El niño hondureño al #PapaFrancisco: "No se ponga nervioso" http://migre.me/lw8KB

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Com videoconferência, o Papa lança a sala de aula do futuro - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV