Sea Shepherd expulsa pescadores de baleia de zona protegida na Antártica

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • Assim o 1% se prepara para o apocalipse climático

    LER MAIS
  • Bispos latino-americanos levantam a voz pela Amazônia

    LER MAIS
  • O holocausto da Amazônia põe a civilização em alerta. Artigo de Marina Silva

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

09 Janeiro 2014

A organização não governamental (ONG) ambientalista Sea Shepherd informou que conseguiu expulsar o navio-fábrica japonês Nisshin Maru do Santuário das Baleias do Oceano Austral, área protegida pelo Tratado Antártico e interromper a captura irregular de baleias no continente gelado.

A reportagem foi publicada pela Agência Brasil, 07-01-2014.

Em comunicado, a Sea Shepherd acrescentou que o Nisshin Maru está deixando a região, sem possibilidade de parar para caçar baleias nas áreas que fixou para as suas atividades. Os navios japoneses se separaram sem poder capturar a espécie, depois de uma perseguição pela frota da ONG ao longo de 580 quilômetros.

“Em um dia e meio, levamos toda a frota de pesca de baleia ao caos”, comentou o capitão do Barco Steve Irwin, Siddharth Chakravarty, em declarações citadas pela agência local AAP.

A Sea Shepherd informou que os seus três navios, em que viajam 100 ativistas de 21 países, continuarão a vigiar os mares antárticos para evitar que a frota japonesa capture baleias no Santuário Austral, onde é proibida a captura comercial desses mamíferos.

Os ambientalistas denunciaram nessa segunda-feira que os pescadores japoneses tinham matado baleias dentro da zona protegida e divulgaram imagens de espécies mortas a bordo do Nisshin Maru. A Sea Shepherd considera que o Japão viola a regra internacional estabelecida em 1986 sobre a pesca comercial de baleias, embora o governo de Tóquio garanta que as capturas têm fins científicos. 

A frota da Sea Shepherd, composta pelos barcos Steve Irwin, Bob Barker e Sam Simon, promove a sua campanha anual contra os pescadores japoneses na Antártica, que desde 1987 caçam baleias alegando fins científicos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Sea Shepherd expulsa pescadores de baleia de zona protegida na Antártica - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV