A educação em Locke, Rousseau e Kant

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco nomeia novo secretário: um padre que trabalha com crianças de rua e viciados em drogas

    LER MAIS
  • O crime da Vale em Brumadinho: metáfora de um sistema minerário predatório

    LER MAIS
  • O papa aprova como vice Decano o argentino Sandri que se calou sobre os crimes do padre Maciel, estuprador de 60 crianças

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

04 Dezembro 2013

faixa

Esta semana foi publicado a 199ª edição de Cadernos IHU ideias com o texto Uma ideia de educação segundo Kant: uma possível contribuição para o século XXI de autoria de Felipe Bragagnolofilósofo formado pela Universidade de Caxias do Sul - UCS e mestrando na UFSM, e Paulo César Nodari, professor adjunto do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UCS, sendo doutor em Filosofia pela PUCRS.

Neste artigo, os autores buscam compreender qual o caminho proposto por Immanuel Kant para a educação do ser humano e como o caminho proposto por filósofo dialoga com o contexto contemporâneo, ou seja, como esse modelo de educação fornece argumentos para repensar a nossa maneira de educar. 

177capa 179capa 199capa

(clique nas imagens para obter o arquivo em PDF)

Duas outras edições, coordenadas pelo Prof. Dr. Paulo César Nodari, e publicadas nos Cadernos IHU ideias podem ser consultadas.

177ª edição, com o texto Um caminho de educação para a paz segundo Locke de Odair Camati e Paulo César Nodari que apresenta o pensamento político de John Locke (1632-1704), no que se refere, especialmente, à maneira como ele entende a formação da sociedade civil, e como essa se constitui na garantia para a paz, tendo por base sua principal obra política: Dois Tratados sobre o Governo. Nesta obra, sobretudo, no Segundo Tratado, Locke articula a passagem do estado de natureza, estado de liberdade e igualdade, mas também de incertezas e inconvenientes, para a sociedade civil com a finalidade principal de garantir os direitos naturais do homem. 

179ª edição com o texto Um caminho de educação para a paz segundo Rousseau de Mateus Boldori e Paulo César Nodari:

“A educação para a paz coaduna-se, pois, com o respeito à dignidade da pessoa e à sua liberdade, conforme a educação proposta por Rousseau no Emílio. O pensamento de Rousseau oferece, sem dúvidas, algumas pistas para a efetivação de uma cultura de paz na perspectiva da educação integrada para a paz. O filósofo genebrino mostra principalmente que a paz é fruto de uma educação que procura valorizar o sujeito enquanto tal e de uma sociedade constituída a partir da soberania e da igualdade. Sociedade e educação estão interligadas para o genebrino em uma situação de igualdade, onde todos se sentem protagonistas.”

Todas as edições acima estão disponíveis no sítio do IHU.

Boa leitura!

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A educação em Locke, Rousseau e Kant - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV