Hans Küng espera ser reabilitado por Francisco

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Vozes que nos desafiam. Celebração da Festa de Santa Maria Madalena

    LER MAIS
  • O que faria a esquerda despertar? Vladimir Safatle comenta a política brasileira

    LER MAIS
  • Há fome no Brasil: 3 dados alarmantes que Bolsonaro deveria conhecer

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Jonas | 19 Abril 2013

O teólogo dissidente suíço Hans Küng (foto), que o papa João Paulo II retirou a permissão de atuar como sacerdote e ensinar teologia católica, em 1979, espera ser reabilitado pelo papa Francisco. “Para muitos seria um sinal, se essa injustiça fosse reparada”, afirma Küng, de 85 anos, em declarações publicadas pelo jornal alemão “Hannoverschen Allgemeine Zeitung”.

A reportagem é de Jesús Bastante, publicada no sítio Religión Digital, 18-04-2013. A tradução é do Cepat.

 
Fonte: http://goo.gl/fBVBm  

Licenciado em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, em 1953, Küng expressa sua esperança de que isso aconteça “quando ainda me encontrar com vida”. O teólogo crítico é atualmente presidente da Fundação “Weltethos” (Ética Mundial, em português), cargo que, entretanto, abandonará logo, por razões de idade.

Küng foi companheiro de Joseph Ratzinger, o papa Bento XVI, na Faculdade de Teologia de Tübingen, na qual ambos foram professores. Os dois também estiveram como assessores no Concílio Vaticano II. No início de suas carreiras, pertenceram a um grupo de teólogos católicos alemães liberais e “aberturistas”.

Não obstante, com o passar dos anos, Ratzinger deu uma virada rumo à ortodoxia conservadora, enquanto Küng se tornou cada vez mais liberal, até chegando a perder a autorização para ensinar teologia católica, depois de questionar o dogma da infalibilidade papal.

Nos últimos anos, Küng se dedicou a fomentar o diálogo entre as religiões na busca pela definição de um marco ético comum.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Hans Küng espera ser reabilitado por Francisco - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV