Israel quer substituir combustíveis fósseis por árvores transgênicas que geram energia

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Pedro descansa onde ele sonhou, na beira do Araguaia, entre um peão e uma prostituta

    LER MAIS
  • Sobre a carta dos bispos. Profetismo incompreendido

    LER MAIS
  • Bolsonaro quer reduzir em R$ 35 bilhões o orçamento do SUS para 2021

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


26 Fevereiro 2013

Stanley Hirsch pensa grande: graças à Arabidopsis, algum dia "todas as energias fósseis" poderão ser substituídas pelo procedimento desenvolvido pela FuturaGene, a empresa de biotecnologia da qual ele é diretor-geral. Seus escritórios ficam em Park Tamar, reduto high-tech de Rehovot, cidade situada ao sul de Tel-Aviv, cuja reputação hoje se deve menos a seus limoeiros do que à sua concentração de empresas de alta tecnologia.

A reportagem é de Laurent Zecchini, publicada no jornal Le Monde e reproduzida pelo Portal Uol, 23-02-2013.

A Arabidopsis é uma planta da família das Brassicaceae, que contém um gene de propriedades revolucionárias que permitem modificar a estrutura celular das plantas para incrementar seu crescimento. Ao introduzir esse gene em eucaliptos e álamos, é possível obter espécimes que crescem 40% mais rápido e que atingem um tamanho nitidamente superior.

Mas qual seria o interesse de tal manipulação genética? Mercados consideráveis para a comercialização de polpa de celulose, biocombustíveis e pellets de madeira, que alimentam tanto usinas elétricas quanto frigideiras domésticas. Stanly Hirsch espera que a tecnologia desenvolvida pela FuturaGene "gere muitos benefícios".

Risco de esgotamento dos solos

Antes que essa mina de ouro se vire realidade, há obstáculos que devem ser superados, sendo um deles a obtenção de uma autorização das autoridades para uma exploração comercial em grande escala. Hirsch espera obtê-la do governo brasileiro nos próximos meses. Por que o Brasil? A FuturaGene possui ali plantações de milhares de eucaliptos (bem como na China e em Israel), e testes com árvores geneticamente modificadas vêm sendo efetuados ali há cerca de dez anos.

Além disso, sua empresa foi comprada em julho de 2010 pelo grupo brasileiro Suzano Papel e Celulose, segundo maior produtor mundial de polpa de eucalipto e um dos principais fornecedores mundiais de pellets de madeira. De acordo com Stanley Hirsch, os eucaliptos transgênicos não apresentam nenhum perigo ao meio ambiente. Ele minimiza as críticas das organizações ambientais, que se preocupam principalmente com as florestas naturais. "Não temos impacto sobre o solo, a flora e a fauna, uma vez que a cultura do eucalipto transgênico não é invasiva. De qualquer forma, nós trabalhamos em estreita colaboração com os governos e as autoridades sanitárias", garante Hirsch.

No entanto, os ambientalistas se preocupam com os riscos de uma tecnologia como essa aplicada sobre milhares de hectares: desertificação dos solos, diminuição da biodiversidade e das reservas de água. Na China, onde a FuturaGene possui um grande escritório em Xangai, bem como vastos campos de álamos transgênicos, certos especialistas se preocupam com a disseminação dos transgênicos através do pólen e das sementes.

Gilles Pilate, diretor de pesquisa na unidade "melhoramento genético e fisiologia florestal" do Instituto Nacional de Pesquisa Agronômica (INRA) se mostra tranquilo: "As possibilidades de cruzamento só existem com outros eucaliptos, não há riscos de contaminação de outros cultivos." No entanto, ele ressalta a necessidade de se monitorar de perto os solos: "Se o rendimento aumenta 40%, isso quer dizer que essas árvores puxam o mesmo tanto de elementos minerais a mais". Isso pode acarretar o esgotamento dos solos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Israel quer substituir combustíveis fósseis por árvores transgênicas que geram energia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV