Detenhamos o golpe de estado na Bolívia

Revista ihu on-line

Populismo segundo Ernesto Laclau. Chave para uma democracia radical e plural

Edição: 508

Leia mais

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Os coletivos criminais e o aparato policial. A vida na periferia sob cerco

Edição: 506

Leia mais

Mais Lidos

  • Por oito a zero, STF reafirma direitos originários dos povos indígenas

    LER MAIS
  • Vitória indígena no STF

    LER MAIS
  • Livro sobre 'escravos livres' é tão forte que obriga a olhar para o presente

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Por: Jonas | 28 Junho 2012

Com profunda preocupação, observamos como mais uma vez, na Bolívia, terra de grandes lutadores e pensadores, forças golpistas de duvidosa origem tentam se aproveitar das legítimas reivindicações sociais para gerar condições de desestabilização geral, que levem a uma possível queda de um governo emanado da luta contra as ditaduras militares ou civis do passado.

Manifesto da Rede de Intelectuais e Artistas em Defesa da Humanidade.

São muitas as contradições na sociedade boliviana e devem ser encontradas suas causas. O governo precisa assumir-se como a expressão de um povo em luta por uma transformação profunda, radical, democrática e plurinacional, com tudo o que isto implica. As organizações sociais precisam assumir, com responsabilidade política, a construção dessa outra sociedade e seus processos de longa duração, ajudando a transformar as instituições e formas de governo naquelas que corresponderão às novas relações políticas-culturais que vão caracterizando a caminhada para um futuro emancipado e não capitalista.

A partir da Rede de Intelectuais e Artistas em Defesa da Humanidade, convocamos ao povo boliviano, que é o sujeito principal desta história, para enfrentar com sabedoria os obstáculos que nunca deixaram de estar presentes nesta construção, e a refletir sobre o dia seguinte de um golpe que está sendo instigado e esperado pelas forças mais reacionárias, para voltarem a mergulhar nossos povos na indefensibilidade.

O principal beneficiário da vitória será o povo boliviano, como também a principal vítima da derrota, como diria René Zavaleta.

Diante do que parece ser uma ofensiva continental em cascata, com golpes de Estado sequenciais, convocamos a nossa comunidade americana e internacional a ficar atenta e a buscar formas de evitar uma catástrofe social, que coloque em risco nossas lutas e processos de emancipação.

Para adesões, contatar:

 

Ana Esther Ceceña: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Observatório Latino Americano de Geopolítica: www.geopolitica.ws
Instituto de Pesquisas Econômicas, UNAM

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Detenhamos o golpe de estado na Bolívia