Decisão do Banco Central foi acertada com governo

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Pornô e sedução em contexto de vida religiosa

    LER MAIS
  • Padres da Caminhada & Padres contra o Fascismo emitem nota de solidariedade à Via Campesina, MST, Dom Orlando Brandes, CNBB e Papa Francisco

    LER MAIS
  • “Devemos conceber o catolicismo de outra maneira”. Entrevista com Anne-Marie Pelletier

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


31 Agosto 2011

O Palácio do Planalto vai tentar passar a imagem de que desconhecia a decisão do Banco Central, mas a cúpula do governo atuou nos bastidores para que a taxa de juros fosse reduzida.

A reportagem é de Natuza Nery, Valdo Cruz e Sheila D`Amorim e publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 01-09-2011.

Segundo a Folha apurou, a presidente Dilma teve reuniões nas últimas semanas com o ministro Guido Mantega (Fazenda) e o presidente do BC, Alexandre Tombini, para discutir a conjuntura econômica e a necessidade de dar uma resposta ao risco de uma desaceleração acentuada da economia.

Desses encontros surgiu a decisão de que a resposta para minimizar o impacto da crise global no Brasil teria de vir de reduções dos juros. E que, para isso, era importante reforçar o ajuste fiscal.

Na segunda-feira, após o anúncio de elevação do superavit primário em R$ 10 bilhões, assessores comentavam não só a expectativa de que haveria corte nos juros, mas de que ele seria de 0,50 ponto percentual - como de fato acabou acontecendo.

Os acertos para a queda vieram diante de dados indicando uma queda forte no ritmo da economia no terceiro trimestre deste ano. Dentro do governo, havia a especulação inclusive de um PIB negativo nesse período.

O objetivo é evitar um quadro recessivo neste final de ano por conta de uma desaceleração mais acentuada do que a prevista nos EUA e Europa, como foi destacado na nota divulgada pelo BC para justificar sua decisão.

Assessores da Presidência confidenciavam ontem que a equipe econômica tem argumentos técnicos para sustentar a decisão.

Um interlocutor de Dilma disse que seria difícil administrar politicamente a decisão de fazer um aperto fiscal sem a contrapartida na política monetária.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Decisão do Banco Central foi acertada com governo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV