''Heresias'' do papa e seus acusadores: ultrapassando a seriedade e o bom gosto

Revista ihu on-line

O Brasil na potência criadora dos negros – O necessário reconhecimento da memória afrodescendente

Edição: 517

Leia mais

Base Nacional Comum Curricular – O futuro da educação brasileira

Edição: 516

Leia mais

Renúncia suprema. O suicídio em debate

Edição: 515

Leia mais

Mais Lidos

  • "No Brasil, há corpo mole em relação ao Papa Francisco, mas não discordância pública". Entrevista com Jose Oscar Beozzo

    LER MAIS
  • Teologia da libertação: a Igreja resiste a Francisco

    LER MAIS
  • Umberto Eco, como se nasce e como se morre de fascismo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

24 Setembro 2017

O inefável Ettore Gotti Tedeschi, 72 anos, ex-muitas coisas, dependendo dos inúmeros cargos que deteve na sua vida, mas principalmente economista e banqueiro, que também é considerado um pensador de destaque, nesse domingo – depois de períodos subterrâneos de silêncio – reviveu, junto com outros 61 pensadores como ele, incluindo o outro inefável, Roberto De Mattei, para alertar, com 25 páginas de reflexões e citações eruditas, um bilhão e 200 milhões de católicos que Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco, no sólio de Pedro desde o dia 13 de março de 2013, é culpado de heresia.

A nota é de Luis Badilla, publicada por Il Sismografo, 24-09-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Gotti Tedeschi e De Mattei, junto com outros – mas nenhum cardeal e nenhum bispo, exceto o chefe dos lefebvrianos, Dom Fellay –, anunciam ao mundo e aos católicos, do alto da sua cátedra, que Francisco está no centro, em termos de magistério, palavras, gestos e omissões, de pelo menos sete heresias... uma mais grave do que a outra.

Não só. A um singular site espanhol, o banqueiro Gotti Tedeschi, famoso especialista em alta doutrina católica, declarou hoje: “Estou preocupado com a salvação das almas, com a grande confusão entre bem e mal”. Depois, Gotti Tedeschi acrescentou: “Imagino que o papa vai agradecer os signatários do documento e vai querer se reunir um por um para reconhecer os erros cometidos no seu magistério”. Por fim, conclui o banqueiro, o Papa Francisco vai formar uma comissão para organizar um Concílio Vaticano III, em que a fé poderá reafirmar a Verdade. Enquanto isso, eu rezo pela Igreja e pelo papa.

Depois, reconhecendo o pensamento de Gotti Tedeschi, como não mencionar que outro grande guardião da pureza do depósito doutrinário católico que assina o documento, Roberto De Mattei, em 2011 declarou-se certo de que o terremoto que, no dia 28 de dezembro de 1908, destruiu Messina foi uma punição divina por causa de uma cidade profana? E essa sua afirmação faz parte de outras quase idênticas, embora referentes a outras situações.

Gostaria de ter tanto o tempo quanto os meios para conhecer um a um o “sumo” do pensamento de todos os signatários, quase a totalidade conhecidos apenas na casa deles. Tenho certeza de que, muitas vezes, me encontraria diante de ideias delirantes. Eu, modestamente, não confio nem um minuto nesses guardiões da fé.

Dito com humildade, eu, francamente, confio no Papa Francisco.

* * *

Nesse domingo, o site tradicionalista Rorate Coeli tuitou: o documento dos 62 sobre as heresias do papa foi assinado por um bispo emérito dos Estados Unidos, Dom Rene Henry Gracida, 94 anos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

''Heresias'' do papa e seus acusadores: ultrapassando a seriedade e o bom gosto - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV