Mudanças climáticas aumentam a competição entre as plantas

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Santa Teresa de Jesus: inquieta, andarilha, desobediente e muito mais...

    LER MAIS
  • COP26. Kerry reduz as expectativas sobre a cúpula de Glasgow: “Rumo a compromissos ainda insuficientes para alcançar…”

    LER MAIS
  • Diocese Anglicana no Paraná sagrará bispa coadjutora em Curitiba

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


08 Junho 2021


Pesquisadores de Freiburg mostram como a seca extrema e a invasão de plantas impactam os ecossistemas da região do Mediterrâneo.

A reportagem é publicada por University of Freiburg e reproduzida por EcoDebate, 04-06-2021. A tradução e edição são de Henrique Cortez.

Como as plantas lidam com os fatores de estresse já foi amplamente pesquisado. No entanto, o que acontece quando uma planta é confrontada com dois estressores simultaneamente?

Uma equipe de pesquisa que trabalha com Simon Haberstroh e a Profa. Dra. Christiane Werner da cadeira de Fisiologia de Ecossistemas do Instituto de Ciências Florestais e Recursos Naturais (UNR) da Universidade de Freiburg está investigando isso. Em conjunto com colegas do Centro de Investigação Florestal da Escola Superior de Agricultura da Universidade de Lisboa em Portugal e do Instituto de Meteorologia e Investigação Climática do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe – KIT, publicaram as suas conclusões na revista especializada “New Phytologist”.

Os investigadores iniciaram um estudo de campo no Parque Tapada Real, na pequena vila portuguesa de Vila Viçosa. O enfoque foi na forma como o sobreiro (Quercus suber) lida com dois fatores de stress: o primeiro é a seca extrema; e a outra, a espécie de planta invasora goma esteva (Cistus ladanifer) .

O estudo tem grande relevância porque ambos os fatores de estresse estão claramente aumentando. Ao mesmo tempo, havia uma lacuna nas pesquisas sobre o assunto. Até agora, os pesquisadores raramente observaram como diferentes fatores de estresse em interação influenciam os ecossistemas.

Os pesquisadores ficaram em parte surpresos com suas descobertas. “Os fatores interagiram de forma mais dinâmica do que esperávamos”, diz Haberstroh, que fez o trabalho investigativo de sua tese de doutorado. Durante os anos de chuva, os estressores interagentes não causaram alterações significativas no sobreiro, enquanto em condições de seca, os fatores se amplificaram ou se amorteceram. Um resultado surpreendente foi também que o sobreiro, apesar da carga dupla, conseguiu recuperar melhor do que o esperado após uma seca extrema.

Os pesquisadores observaram que isso acontece principalmente quando os arbustos invasores da esteva também foram seriamente comprometidos pela seca. A equipa vai continuar a trabalhar em Portugal para recolher mais dados e olhar para as tendências de longo prazo.

“Essas novas descobertas de pesquisa contribuem para uma melhor compreensão e um cuidado mais expedito dos ecossistemas”, explica Haberstroh. “Com eles podemos, por exemplo, desenvolver regras para anos particularmente secos, que é uma questão central em tempos de mudança climática”, diz ele.

Referência:

Haberstroh, S., Caldeira, M. C., Lobo-do-Vale, R., Martins, Joana I., Moemken, J., Pinto, J. G., Werner, C. (2021): Non-linear plant-plant interactions modulate impact of extreme drought and recovery on a Mediterranean ecosystem. In: New Phytologist. Disponível aqui.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mudanças climáticas aumentam a competição entre as plantas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV