Bolsonaro prometeu dobrar recursos, mas cortou verba do meio ambiente

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “Sínodo é até o limite. Inclui a todos: Os pobres, os mendigos, os jovens toxicodependentes, todos esses que a sociedade descarta, fazem parte do Sínodo”, diz o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS
  • Enquanto Francisco visitava a Eslováquia, a comunidade internacional celebra a mulher sacerdote da Tchecoslováquia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Abril 2021

Bolsonaro cortou R$ 240 milhões do Ministério do Meio Ambiente um dia após falar na Cúpula do Clima em dobrar orçamento.

Fiel seguidor da cartilha ambiental de Jair Bolsonaro, Ricardo Salles é considerado uma ameaça global. 
(Foto: Marcos Corrêa/PR)

A reportagem é publicada por Rede Brasil Atual - RBA, 23-04-2021.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (23) o veto de R$ 240 milhões do Orçamento da União para ações do Ministério do Meio Ambiente. O anúncio foi feito um dia após ele mesmo afirmar, na Cúpula de Líderes do Clima, que dobraria o investimento em programas de fiscalização para o combate ao desmatamento ilegal na Amazônia. Responsável pela fiscalização e que pode exercer poder de polícia, o Ibama teve R$ 19,4 milhões vetados. E justamente para ações de combate à ação de criminosos ambientais e de prevenção e combate a incêndios, que se espalha sobre a mata devastada no período mais seco.

Do Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMBio), que administra e protege as mais de 300 unidades de conservação espalhadas pelo país, Bolsonaro vetou R$ 7 milhões. O presidente ainda cortou R$ 4,5 milhões do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima. E na área que abriga o programa para melhoria da qualidade ambiental urbana, R$ 203 milhões.

Governo deveria zerar

Ao Estadão, Salles afirmou que vai tratar do assunto com o Ministério da Economia. “Essa parte de adequação dos valores precisaremos ver com o ministro Paulo Guedes”, declarou. E disse ainda que o governo deveria “zerar qualquer corte e fazer o ajuste pelo dobro do previsto”.

“Um dia depois de prometer que iria dobrar os repasses para áreas de fiscalização ambiental, o governo federal anunciou um corte de R$ 240 mi no orçamento geral dedicado ao MMA. Vetos publicados afetam programas cruciais tocados pelo Ibama e pelo ICMBio”, disse a Comissão Pró-Índio por meio de sua conta no Twitter.

Mas diferentemente do Ministério da Educação, o do Meio Ambiente não teve recursos bloqueados. Enquanto os recursos contingenciados podem vir a ser liberados ao longo do ano, caso haja “folga” dentro do teto de gastos, os vetados não têm volta.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bolsonaro prometeu dobrar recursos, mas cortou verba do meio ambiente - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV