Facebook e Google asfixiam o jornalismo, denuncia empresa de comunicação

Revista ihu on-line

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Mais Lidos

  • Moçambique. “Ameaças de morte por parte do governo. Há anos que lançamos apelos para Maputo. Sem sucesso”, denuncia ex-bispo de Pemba

    LER MAIS
  • Assim, o Papa Francisco nos lembrou que o comunismo pertence ao pensamento religioso

    LER MAIS
  • Repartir os bens não é comunismo, é cristianismo puro, diz o Papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Fevereiro 2021

A HD Media, dos Estados Unidos, ingressou com processo contra o “duopólio” do Google e do Facebook por práticas monopolistas ilegais firmado num acordo secreto de codinome Jedi Blue, acordo que também é motivo de processo separado movido por procuradores-gerais do Estado do Texas. O processo da HD tramita no tribunal federal do Estado da Virginia Ocidental e foi impetrado pelo advogado Paul Farrell.

A reportagem é de Edelberto Behs, jornalista. 

Embora não seja especificado na reclamação da HD Media um valor em dólares, Farrell entende que os números possam ser astronômicos, uma vez que as duas empresas reclamadas faturaram milhões de dólares em publicidade, mais da metade de toda a receita americana em publicidade digital em 2019. Não há participação financeira grande o suficiente para compensar as perdas da indústria jornalística nas últimas décadas, argumentou o advogado. 

Se Google e Facebook não tivessem sugado todo o oxigênio da nova economia digital, asfixiando a mídia tradicional ao privá-la de suas receitas publicitárias, a indústria jornalística seria mais saudável e, portanto, a democracia seria mais saudável? Essa é a questão que está por trás do processo da HD Media

Desde 2004, os Estados Unidos viram o fechamento de mais de 2 mil jornais locais. Metade dos empregos que esses jornais proporcionavam foram eliminados. O quadro se acelerou com a pandemia, quando comunidades mais passaram a necessitar de informações locais. 

Em 2017, um exemplo, o jornal Charleston Gazette-Mail ganhou o Prêmio Pulitzer de reportagem investigativa ao revelar como a indústria farmacêutica estava envenenando, em essência, comunidades da Virgínia Ocidental ao enviar-lhes uma sobrecarga de comprimidos opioides. “Siga as pílulas e você encontrará as mortes por overdose”, iniciava a matéria do jornalista Eric Eyre. No ano seguinte, o jornal declarou falência e foi arrematado em leilão pela HD Media

Segundo o site Business Insider, o acordo secreto entre Google e Facebook, o tal do Jedi Blue, prevê privilégios do Google ao Facebook nos leilões de anúncios, chamados de header bidding, o que configuraria fraude. No leilão de anúncio anunciantes disputam espaços para publicar em um site, pagando ao distribuidor, não ao site. 

O Jedi Blue é acusado de conceder favores ao Facebook sobre espaços publicitários em troca de apoio para vender tais anúncios. O acordo refere-se a um segmente que cresce no mercado publicitário on-line, a chamada publicidade programática. Esse segmento atrai centenas de bilhões de dólares em receita global. A venda automatizada de espaço publicitário representa mais de 60% do total comercializado. 

“O Google entendeu a gravidade da ameaça à sua posição se o Facebook entrasse no mercado e apoiasse o header bidding. Para dissipar essa ameaça, o Google fez aberturas ao Facebook”, alegou o Estado do Texas ao abrir o processo contra as duas gigantes da tecnologia sob a acusação de haver um acordo secreto entre elas. 

Ouvido pelo Bloomberg, um representante do Google negou as acusações. Alegou que “o Facebook é uma das 25 empresas em um serviço de open bidding que a plataforma da empresa oferece e não recebe dados especiais”.

A HD Media, informa Margaret Sullivan, do Washinton Post, está conclamando todos os outros jornais da América a se unirem nesse processo. “Estamos lutando não apenas pelo futuro da imprensa, mas também pela preservação da nossa democracia” declarou o sócio-gerente da empresa, Doug Reynolds.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Facebook e Google asfixiam o jornalismo, denuncia empresa de comunicação - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV