Salvar a democracia norte americana

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “A visibilidade que o Papa deu à guerra foi impressionante”. Entrevista com Dom Luiz Fernando, bispo de Pemba, Moçambique

    LER MAIS
  • Quem manda no Brasil

    LER MAIS
  • O Mapa da cloroquina: como governo Bolsonaro enviou 2,8 milhões de comprimidos para todo o Brasil

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


08 Janeiro 2021

"A supremacia branca machista que dominou essa sociedade por tantos anos abre espaço para uma sociedade de convivência assimilando, definitivamente, os afrodescendentes em seu seio", escreve José Afonso de Oliveira, sociólogo formado pela PUC Campinas e professor aposentado da UNIOESTE. 

Eis o artigo.

As cenas patéticas da invasão do Congresso dos Estados Unidos correspondem a tudo aquilo que está acontecendo na sociedade norte americana.

Não há nada de golpe pois que isso é simplesmente impensável nos Estados Unidos, em que pese serem eles fomentadores, mundo afora de golpes de todos os tipos e espécies.

Nas eleições presidenciais a vitória dos democratas sinaliza uma nova fase da vida democrática nos Estados Unidos. Nada de precipitações, de medidas altamente demagógicas, de uma política externa sem posições firmes e coerentes, de agora em diante uma nova sociedade norte americana está em andamento.

A supremacia branca machista que dominou essa sociedade por tantos anos abre espaço para uma sociedade de convivência assimilando, definitivamente, os afrodescendentes em seu seio. Isso fica muito claro com a vitória dos democratas na Geórgia, coisa que não acontecia desde 1992 e, mais ainda, com a eleição de um cidadão negro para o Senado dos Estados Unidos.

Isso mostra, com a devida clareza que os Estados Unidos de hoje, em séria disputa pela hegemonia global tem um grande rival na China que, evidentemente abala o seu conceito.

Os republicanos representados por Donald Trump fizeram de tudo, claro, muito mais em palavras do que em ações para tentar fazer a América como o primeiro país do mundo, nos dizeres várias vezes tornados públicos de Trump.

Isso foi impossível dado o fato de que grandes multinacionais norte americanas não deixaram a China para retornarem aos Estados Unidos.

Agora é tempo de que o governo dos Estados Unidos entre na esfera dos grandes interesses globais começando pela questão do acordo climático de Paris. Essa política do isolamento que foi muito praticada pelos Estados Unidos no passado hoje é altamente prejudicial à sociedade norte americana, conforme estamos assistindo.

De outra forma é preciso pensar e agir por uma nova sociedade norte americana de inclusão completa e total dos afrodescendentes e estrangeiros, legais ou ilegais pois que eles estão presentes nos Estados Unidos ocupando posições importantes e fundamentais para o desenvolvimento dessa sociedade.

Fica claro com essas atitudes da sociedade norte americana como o repúdio a atos extremados como a invasão do Capitólio que eles já estão vivendo uma nova realidade, dentro de um padrão democrático pois que as suas instituições democráticas são de grande solidez e avançam pelo tempo em todas as circunstâncias, mesmo que aparentemente adversas.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Salvar a democracia norte americana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV