“Em fuga” apresenta subsídio sobre deslocamento no Brasil

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Santa Teresa de Jesus: inquieta, andarilha, desobediente e muito mais...

    LER MAIS
  • COP26. Kerry reduz as expectativas sobre a cúpula de Glasgow: “Rumo a compromissos ainda insuficientes para alcançar…”

    LER MAIS
  • Diocese Anglicana no Paraná sagrará bispa coadjutora em Curitiba

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Setembro 2020

Subsídio "migrantes internos, os condenados da terra", traz trajetória histórica do deslocamento no Brasil.

Por ocasião do Dia Mundial do Migrante e do Refugiado - 27 de setembro 2020, as Irmãs Scalabrinianas realizam a Campanha “Em fuga” para sensibilizar a sociedade sobre as pessoas em situação de deslocamento interno. Segundo o Relatório de Tendências Globais da ONU, de junho de 2020, os deslocados internos em todo o mundo somam 45,7 milhões.

“Para a Pastoral Migratória e para os próprios migrantes, fica o gigantesco desafio de transformar toda fuga em uma nova busca. E cada busca representa uma etapa que nos aproxima da pátria definitiva, ao mesmo tempo pré-anúncio e antecipação do Reino de Deus”, afirma o subsídio da Campanha, de autoria do missionário scalabriniano padre Alfredo Gonçalves que atuou por 25 anos no Brasil em meio aos deslocados internos.

O Documento escrito a pedido da Coordenação da Campanha, dá ênfase aos deslocamentos internos no Brasil e chama a atenção para as causas e consequências históricas deste fenômeno. No Brasil, “historicamente, e até os dias atuais, sempre e quando os moradores da Senzala tentaram transformar os ‘favores provisórios’ em ‘direitos adquiridos’, tiveram de enfrentar as forças da ordem: capatazes, jagunços, policiais, soldados. ”

Padre Alfredinho conclui o texto recordando que “os migrantes internos na trajetória brasileira, ao lado de uma multidão de outros rostos empobrecidos e vulnerabilizados, representam, sim, ‘os condenados da terra’. Condenados ao deslocamento compulsório, mas também à Senzala, à moradia pobre e precária. Enquanto aos habitantes da Casa Grande estão reservados os privilégios e os benesses intocáveis, aos moradores da Senzala cabem as migalhas, os favores”.

Leia a íntegra do subsídio em PDF aqui.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Em fuga” apresenta subsídio sobre deslocamento no Brasil - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV