Mudanças Climáticas: Pesquisadores alertam para a sobrevivência de ursos polares até o final do século

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Desgaste do discurso evangélico

    LER MAIS
  • Outro papa. Ratzinger, sua renúncia e o confronto com Bergoglio

    LER MAIS
  • ‘Eu serei sempre minoria’, diz padre Júlio sobre sua vocação em ajudar pobres e oprimidos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Julho 2020

Prevê-se que a perda de gelo do mar, devido às mudanças climáticas, ameace a sobrevivência de populações de ursos polares no Ártico até o final do século, mostram novas pesquisas.

A reportagem é de Rebecca Falconer, publicada por EcoDebate, 21-07-2020.

Por que importa

“Os ursos polares são considerados mensageiros dos sintomas da mudança climática, que afetarão toda a vida, inclusive os humanos”, diz Steven Amstrup, cientista chefe da Polar Bears International.

O que há de novo

O novo estudo, em co-autoria de Amstrup e publicado na revista Nature Climate Change, marca a primeira vez que os cientistas foram capazes de prever quando, onde e como os ursos polares provavelmente desaparecerão. Os modelos anteriores não foram avaliaram as diferentes condições de vida no Ártico e os níveis de subpopulações de gelo marinho.

O professor da Universidade de Wyoming, Merav Ben-David, que estuda ursos polares com Amstrup há 20 anos, mas não participou deste trabalho, disse que a modelagem seria uma ferramenta essencial para a conservação.

Antecedentes

Os ursos polares dependem do gelo marinho para caçar presas. O gelo está desaparecendo em regiões como o Alasca, que no ano passado viu uma perda de gelo sem precedentes no mar de Bering e uma rápida redução nos mares de Chukchi e Beaufort.

Os cientistas reconheceram mudanças significativas no gelo do mar Ártico no final dos anos 90, disse Ben-David. “Desde então, começamos a ver os efeitos das mudanças climáticas nos ursos polares”.

As fêmeas podem se reproduzir sem o gelo. Mas, com acesso limitado a alimentos, Ben-David disse que eles não têm nutrientes para alimentar os filhotes e energia para caçar – deixando-os “incapazes de nutri-los e criá-los na idade adulta”.

O que eles fizeram

“Ao estimar quão magros e quão gordos os ursos polares podem ser, e modelar seu uso de energia, conseguimos calcular o número limite de dias que os ursos polares podem jejuar antes que as taxas de sobrevivência de filhotes e / ou adultos comecem a declinar, “disse o autor do estudo Péter Molnár, da Universidade de Toronto Scarborough, em comunicado.

O artigo explora o que está reservado para os ursos polares em dois cenários diferentes de emissão de gases de efeito estufa.

Em um cenário de emissões moderadas (conhecido como "caminho representativo da concentração 4.5"), eles encontraram ursos polares no mar de Laptev, norte da Rússia, e no mar de Beaufort, norte do Alasca, enfrentariam “possível” colapso reprodutivo até 2080. Subpopulações em outros lugares também seria ameaçado.

Sob um cenário de crescimento de emissões muito alto (RCP 8.5), as ilhas Queen Elizabeth do Canadá “podem ser o único lugar em que os ursos polares podem continuar a prosperar” até 2080, disse Amstrup.

Outras subpopulações enfrentariam algum nível de ameaça de falha reprodutiva – com esse resultado “inevitável” para aqueles no mar de Barents, entre a Rússia e a Noruega, e a baía de Hudson, no sul do Canadá.

Sim, mas

Alguns pesquisadores acreditam que o cenário é improvável porque o custo das tecnologias de baixo carbono está caindo e o uso global de carvão também.

Amstrup disse que é importante considerar, pois alguns líderes ainda estão pressionando pelo uso de combustíveis fósseis e “ainda temos que ver muita mudança na taxa de aumento das concentrações de CO2”.

O que prestar atenção: Movimentos como os 2019 e greves climáticas têm motivados governos para agirem, com vários países europeus prometendo grandes cortes e emissões e iniciativas verdes, diz o cientista climático Robert McLachlan, do New Zealand Centre for Planetary Ecology.

Isso poderia ajudar a mitigar a ameaça às populações de ursos polares.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mudanças Climáticas: Pesquisadores alertam para a sobrevivência de ursos polares até o final do século - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV