Síria. "O Ocidente destruiu nosso país por interesse"

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O Sínodo Mundial é uma preparação para um futuro Concílio, afirma arcebispo de Praga

    LER MAIS
  • Müller também se recusa, na 'TV do diabo', a participar do Sínodo

    LER MAIS
  • Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Outubro 2019

"Se a Europa desistir de vender armas já será uma coisa boa, mas não é suficiente. Infelizmente, os EUA já venderam armas suficientes para anos; será uma catástrofe", assim falou D. Jacques Behnan Hindo, arcebispo emérito sírio-católico de Hassakeh-Nisibi, no nordeste da Síria, contatado graças à fundação Ajuda à Igreja que Sofre.

A entrevista é de Paolo Rodari, publicada por la Repubblica, 13-10-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

Eis a entrevista.

O que a Europa deve fazer?

Itália, França, Alemanha e muitos outros países são dominados pelos Estados Unidos. Essa é a verdade. E os EUA só querem desestabilizar a região e deixar que ela se torne território do Daesh para ter acesso livre a tudo. A Europa tem medo, essas suas manobras me parecem pouco incisivas.

Os países europeus apoiam apenas os interesses dos EUA?

Eles cuidam de seus interesses sem se importar com os ideais de liberdade e democracia. O resultado é que a Síria é um país no limite. A população não aguenta mais e já foge. Desde o início da guerra na Síria, 25% dos católicos de Qamishli e 50% dos fiéis de Hassakeh deixaram o país, o mesmo ocorreu com 50% dos ortodoxos. Um êxodo destinado a aumentar.

Várias vezes você se encontrou com os líderes do Partido Democrata Curdo. Com que resultados?

Infelizmente, poucos. 10% dos curdos, aqueles que estão no comando, acreditam que podem criar uma região autônoma assim como no Curdistão iraquiano e turco. Mas nunca conseguirão, serão derrotados pela Turquia.

Vocês estão com medo?

Quando o Daesh chegou a 300 metros do arcebispado, fiquei no meu lugar e sempre o farei. Esta é a nossa terra, não temos medo, mas sentimos muita dor pelo desastre que caiu sobre nós por interesses alheios.

O que a Turquia fará?

Acredito que só queira libertar as forças do Daesh e fazer da Síria um país para os milicianos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Síria. "O Ocidente destruiu nosso país por interesse" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV