“Vamos explicar que muitas árvores são derrubadas para a criação de gado e que o agronegócio não é sustentável para o planeta”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Bolsonaro é retratado como criminoso de guerra em vídeo sobre Amazônia

    LER MAIS
  • É desumano continuar a morrer sozinhos. E não digam que não poderia ter sido feito de outra forma

    LER MAIS
  • A vacina não é um bem comum

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


17 Setembro 2019

Na sexta-feira (20), a partir das 16h, um grupo de veganos do Rio de Janeiro vai realizar uma manifestação que visa conscientizar a população sobre a importância do combate às mudanças climáticas. O ponto de encontro será na Praça XV (em frente ao Ibama) e qualquer pessoa pode participar.

A reportagem é publicada por vegazeta, 16-09-2019.

De acordo com um dos organizadores do evento “Veganos Pelo Clima”, Leandro Pagnoncelli, a intenção é mostrar que além do veganismo se voltar para a oposição à exploração de animais com as mais diversas finalidades, ser vegano também é benéfico para o meio ambiente, já que contribui para a redução das emissões de carbono que favorecem o aquecimento global.

“Vamos explicar que muitas árvores são derrubadas para a criação de gado e que o agronegócio não é sustentável para o planeta”, diz Pagnoncelli, acrescentando que o evento faz parte da Greve Global pelo Clima, que deve contar com manifestações no mundo todo.

Recentemente a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) publicou algumas sugestões que podem ser adotadas por qualquer pessoa que queira minimizar a contribuição às mudanças climáticas.

A primeira é adotar uma dieta mais sustentável, com a introdução de refeições vegetarianas em que a carne seja substituída por alimentos que demandam menos recursos naturais no processo de produção. Exemplos são as leguminosas como feijões, lentilhas, ervilhas e grão-de-bico.

“Mais recursos naturais são usados ​​para produzir carne, especialmente a água. Milhões de hectares de floresta tropical também são cortados e queimados para transformar terras em pastagens e campos para o gado”, justifica a FAO, em referência a ações que favorecem o aquecimento global.

A organização recomenda comprar apenas o que precisamos, fazendo uma lista e criando planos de refeições para evitar compras por impulso: “Quando você joga fora sua comida, você está desperdiçando os recursos hídricos que foram gerados. Por exemplo, são necessários 50 litros de água para produzir uma laranja!”

Outra sugestão diz respeito à valorização dos produtores locais – agricultores familiares e pequenas empresas: “Você também ajuda a combater a poluição, reduzindo as distâncias de entrega de caminhões e outros veículos. A mudança climática está colocando em risco os meios de subsistência de milhões de agricultores. Sem eles, não teríamos comida em nossos pratos. As escolhas que fazemos hoje são vitais para um futuro seguro para a alimentação.”

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Vamos explicar que muitas árvores são derrubadas para a criação de gado e que o agronegócio não é sustentável para o planeta” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV