Papa vai visitar o Japão, cumprindo sonho antigo

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Segunda onda da covid-19 no Brasil é ‘risco iminente’, alerta Nicolelis

    LER MAIS
  • A horripilante foto eleitoral da ‘terrorista de direita’

    LER MAIS
  • Como o desumano entrou no humano. Artigo de Marco Revelli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


14 Setembro 2019

Viagem decorre de 19 a 26 de novembro, com passagem pela Tailândia, antes de Tóquio, Nagasáqui e Hiroxima

A informação é publicada por Agência Ecclesia, 13-09-2019.

O Vaticano anunciou hoje que o Papa vai visitar a Tailândia e o Japão, de 19 a 26 de novembro, na 32ª viagem internacional do atual pontificado.

A convite do governo do Reino da Tailândia e dos bispos católicos, o pontífice visitará o país de 20 a 23 de novembro; o mesmo convite foi feito pelo governo e o episcopado do Japão, para uma viagem que decorre de 23 a 26 de novembro, com passagens pelas cidades de Tóquio, Nagasáqui e Hiroxima.

Francisco tinha manifestado a intenção de visitar o Japão a 12 de setembro de 2018, num encontro com membros da associação “Tensho Kenoh Shisetsu Kenshoukai”: “Gostaria de anunciar a minha vontade de visitar o Japão no próximo ano. Esperemos que se possa realizar”.

A viagem do Papa ao Japão é a primeira de um pontífice desde 1981, quando João Paulo II visitou o país, e a segunda na história.

Em 2017, o primeiro-ministro Shinzo Abe convidou Francisco para visitar o Japão, sublinhando o empenho comum por um mundo sem armas nucleares.

O lema escolhido para a viagem ao Japão é “Proteger cada vida”, uma das frases contidas na oração que conclui a Encíclica ‘Laudato si’ sobre a ecologia integral.

“A exortação é respeitar não apenas a dignidade de cada pessoa, mas também o meio ambiente, sobretudo num país, como o Japão, que enfrenta o problema persistente da ameaça nuclear”, adianta o portal de notícias do Vaticano.

Após a expulsão dos missionários portugueses em 1639, o Cristianismo nipónico entrou numa vivência de clandestinidade que se prolongou até à reabertura do império ao Ocidente, na segunda metade do século XIX.

Os ocidentais encontraram então os ‘kakure kirishitan’, cristãos escondidos, em grupos dispersos e isolados que se congregavam sobretudo em áreas remotas, conservando a fé ao longo de várias gerações sem clero nem pessoal religioso.

Este é um fenômeno muito caro ao Papa Francisco, que na sua juventude sonhava ser missionário no Japão, algo que foi impossível devido aos seus problemas de saúde.

Na Tailândia, o lema da viagem é “Discípulos de Cristo, discípulos missionários”; em 2019 assinalam-se os 350 anos da instituição do Vicariato Apostólico de Siam, que marcou o início da presença da Igreja Católica no país.

Também neste caso, a missionação está ligada à presença portuguesa, particularmente visível na igreja de São José e aldeia de Ayuthaya.

O primeiro Papa a visitar a Tailândia foi São João Paulo II, em 1984.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa vai visitar o Japão, cumprindo sonho antigo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV