A questão social da exploração sexual infantil em Marabá

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que deve ser cancelado? Eis a questão

    LER MAIS
  • Indígena assassinado no Maranhão é o 4º Guajajara morto de forma violenta em menos de dois meses

    LER MAIS
  • Padre Miguel Ángel Fiorito, SJ, meu Mestre do Diálogo: "Ele nos ensinou o caminho do discernimento". Artigo do Papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

10 Agosto 2019

"Como igreja e pessoas que acreditam em Jesus Cristo lutemos contra a prostituição porque está atingindo muitas pessoas, mulheres, adolescentes de nossas vilas e comunidades. A Igreja procura estar ao lado de pessoas atingidas pela prostituição infantil. Não é possível permanecer acomodado quando a prostituição, o ganho fácil para a sexualidade anda solto", escreve Dom Vital Corbellini, Bispo de Marabá, Pará.

Eis o artigo.

Estamos assim chocados com uma situação que nesses dias foi divulgada pelos Meios de Comunicação Social, o Jornal: O Correio de Carajás, na qual a mineração de manganês Buritirama, que leva embora mais de um bilhão de reais de Marabá, mas tem como conseqüência a exploração sexual, sobretudo aquela infantil. Esta rota do manganês na Vila União, não pode servir para a exploração sexual sobretudo, de mulheres e de menores. Os órgãos municipais, as autoridades devem levantar a voz e agir contra a exploração infantil, contra menores.

Nós não podemos ficar de braços cruzados, devemos denunciar para que haja vida sobre a morte, e a vida não se torne objeto de uso e abuso de pessoas adultas motoristas contra pessoas adolescentes, mulheres e inocentes. As coisas ocorrem, sobretudo, na Vila União, a 140 quilômetros de Marabá, quase tudo estrada de chão, estrada muito perigosa devido a quantidade de caminhões que nela circulam.

Os motoristas acabam dormindo nos caminhões, e mulheres e às vezes adolescentes entram e saiam no meio da noite, nestes caminhões, como nos foi relatado pelo Jornal: O Correio. Fala-se também conforme a reportagem que nas Vilas anteriores, como Santa Fé e Três Poderes existe a prostituição infantil. Existem bordeis construídos para atrair a situação da exploração sexual infantil por diversos motoristas. Infelizmente a prostituição traz também a questão das drogas para as pessoas infantis e jovens. Como igreja e pessoas que acreditam em Jesus Cristo lutemos contra a prostituição porque está atingindo muitas pessoas, mulheres, adolescentes de nossas vilas e comunidades.

A Igreja procura estar ao lado de pessoas atingidas pela prostituição infantil. Não é possível permanecer acomodado quando a prostituição, o ganho fácil para a sexualidade anda solto. É preciso que a empresa invista em favor da vida, em projetos que correspondam à civilização do amor, de políticas públicas para que haja educação, trabalho digno para todas as pessoas. As autoridades políticas tomem providências contra a exploração infantil. A rota do manganês de Marabá não pode servir para à exploração infantil, mas sim para a vida. Assim o Reino de Deus cresce com a nossa participação.

Leia Mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A questão social da exploração sexual infantil em Marabá - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV