Vale perde R$ 72 bilhões em valor de mercado

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Vaticano abre as portas para a ordenação de homens casados em regiões isoladas

    LER MAIS
  • A última entrevista de Francisco com os jesuítas é reveladora – também de suas contradições

    LER MAIS
  • Renda do trabalhador mais pobre segue em queda e ricos já ganham mais que antes da crise

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Janeiro 2019

Ações da empresa caíram 24% após tragédia em Brumadinho e decisão da empresa de suspender dividendos a acionistas e bônus a executivos. Empresa também teve R$ 11 bilhões bloqueados pela Justiça.

A reportagem é publicado por Deutsche Welle, 28-01-2019.

As ações da mineradora Vale despencaram 24,04% nesta segunda-feira (28/01), o primeiro dia de pregão do Ibovespa após o rompimento de uma barragem da empresa em Brumadinho (MG).

A queda do valor das ações também foi influenciada pela decisão da empresa de suspender a remuneração a acionistas na forma de dividendos e juros sobre capital próprio e o pagamento de remuneração variável (bônus) a executivos, que foi anunciado no domingo. A reação negativa fez com que a empresa perdesse 72,8 bilhões de valor de mercado em relação ao último pregão. Foi maior queda da história da empresa. A perda acabou contaminando o índice Ibovespa, que recuou 2,29%.

Também nesta segunda-feira, o presidente interino Hamilton Mourão afirmou que o gabinete de crise criado pelo Planalto para lidar com a tragédia estuda a possibilidade de afastamento da diretoria da Vale.

O rompimento da barragem de 86 metros de altura liberou mais de 11 milhões de metros cúbicos de lama e rejeitos de minério de ferro no rio Paraopeba e arrasou instalações da mineradora e parte de uma comunidade da cidade de Brumadinho

Para coordenar a resposta ao desastre, a empresa comunicou ainda que decidiu criar dois comitês independentes. O primeiro acompanhará a assistência prestada às vítimas e as providências para recuperar a área atingida pelo rompimento da barragem. O segundo focará em apurar as causas e responsabilidades da tragédia.

Ambos serão "coordenados e compostos por maioria de membros externos, independentes da companhia", disse a mineradora. Os integrantes dos comitês serão indicados pelo próprio conselho da Vale.

A decisão de suspender a remuneração a acionistas veio após a mineradora ter um total de 11 bilhões de reais bloqueados de suas contas pela Justiça para garantir o ressarcimento de danos causados e indenizar vítimas. A contagem oficial de mortos chega a 60, dos quais 19 corpos foram identificados. Ao menos 292 pessoas seguem desaparecidas. Além disso, o Ibama multou a Vale em 250 milhões de reais.

As buscas por desaparecidos chegaram a ser interrompidas neste domingo devido ao risco de rompimento de outra barragem próxima, mas os bombeiros retomaram os trabalhos após concluírem que o risco havia diminuído. As buscas estão sendo apoiadas por uma equipe de 130 militares de Israel.

Segundo a Vale, a barragem havia sido inspecionada pela certificadora alemã TÜV-Süd em junho e setembro de 2018, ocasião em que foi atestada como estável.

Oficialmente, a barragem que rompeu não recebia novos rejeitos há três anos e estava em processo de desativação. A estrutura foi construída em 1976 pela antiga mineradora Ferteco Mineração, que já foi a terceira maior companhia produtora de minério de ferro do Brasil e pertenceu ao grupo alemão ThyssenKrupp. A barragem e a mina passaram para a Vale em 2001, quando a Ferteco foi vendida. 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vale perde R$ 72 bilhões em valor de mercado - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV