O agro é voraz: novo vídeo da campanha ‘Riquezas são diferentes’ evidencia conflitos gerados pelo agronegócio

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Igreja Universal cria seu exército particular com "recrutamento" de PMs

    LER MAIS
  • A semana em que 47 povos indígenas brasileiros se uniram por um manifesto anti-genocídio

    LER MAIS
  • “Do fundo do nosso coração” é um “de profundis”. Ou seja, o Concílio Vaticano II não é opcional

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

22 Novembro 2018

O apetite por novas terras e o rastro de violência deixado no campo são temas da terceira peça da série; observatório divulga o boletim De Olho nos Conflitos.

A reportagem é publicada por De Olho nos Ruralistas, 21-11-2018.

O vídeo “O Agro é voraz” mostra como o modelo agrário defendido pelos ruralistas, baseado na monocultura em larga escala e no expansionismo territorial, impacta as vidas de indígenas, quilombolas, camponeses e demais povos tradicionais. A peça dá sequência à campanha ‘Riquezas são diferentes’, que questiona a campanha O Agro é Pop, da TV Globo. Os conflitos no campo são tema de uma das editorias do De Olho nos Ruralistas.

 

A eleição do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em outubro aumenta a preocupação de que haja uma nova escalada na violência no campo. Apenas no fim de semana da vitória de Bolsonaro, foram registrados cinco ataques a comunidades indígenas e assentamentos da reforma agrária.

Os temores são motivados pelo posicionamento do novo presidente. Ele já afirmou que “não haverá um centímetro a mais” demarcado para quilombolas e indígenas e fala em tratar o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) como um grupo terrorista. “Se for necessário prender 100 mil. Qual o problema?” perguntou seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), deputado federal mais votado do Brasil.

Mas a violência no campo não vem de hoje. Ela tem uma raiz histórica, oriunda da grilagem de terras públicas, da expulsão dos indígenas, da exploração de mão de obra escravizada e do violento processo de êxodo rural. Tudo isso para que as terras gerassem riquezas para uma elite rural.

A campanha, lançada em agosto pelo De Olho nos Ruralistas, usa como mote um trecho da música “Comida”, dos Titãs, para mostrar que monocultura é monocultura em qualquer lugar, mas ‘Riquezas são diferentes’. O primeiro vídeo fala sobre as condições precárias do trabalho no campo e a bancada ruralista. O segundo busca entender a relação de interdependência entre a monocultura e o uso intensivo e agrotóxicos.

Lançado em setembro de 2016, o De Olho nos Ruralistas teve uma pré-história em 2013 e 2014, com programas de entrevistas transmitidos ao vivo. Estruturou-se a partir de uma vaquinha virtual, há dois anos, e, desde o ano passado, mantém no ar a campanha de assinaturas intitulada inicialmente – até se atingir a primeira meta – De Olho nos Mil Parceiros.

As assinaturas podem ser feitas a partir de R$ 12 mensais, ou R$ 120 anuais. Por esse valor cada leitor recebe um boletim analítico semanal, chamado De Olho nos Ruralistas, com uma seleção do que é publicado nos quatro boletins diários: De Olho no Agronegócio, De Olho no Ambiente, De Olho na Comida, De Olho nos Conflitos.

Para receber os boletins diários é preciso doar pelo menos R$ 25 mensais, ou R$ 250 anuais. Ao longo dos últimos dois anos selecionamos milhares de notícias em cada tema, ajudando a tornar o debate sobre agricultura mais amplo.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O agro é voraz: novo vídeo da campanha ‘Riquezas são diferentes’ evidencia conflitos gerados pelo agronegócio - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV