MP pede garantia de policiamento em assentamento criado por Dorothy Stang no Pará

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • Livro analisa os teólogos, a virada ecumênica e o compromisso bíblico do Vaticano II

    LER MAIS
  • Adaptando-se a uma ''Igreja global'': um novo comentário internacional sobre o Vaticano II. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Desigualdade bate recorde no Brasil, mostra estudo da FGV

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

06 Outubro 2018

O pedido visa garantir que a área não seja ocupada de forma irregular novamente

A reportagem é do Ministério Público Federal do Pará e republicado por Amazônia.org, 04-10-18.

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) pediram ao Comando-Geral da Polícia Militar que informe quais medidas serão adotadas para que seja feita a manutenção de policiamento no Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) Virola Jatobá, em Anapu, sudoeste do Pará.

Em agosto, a Justiça determinou a reintegração de posse da área invadida do PDS Virola Jatobá. Essa decisão foi cumprida nos dias 19 e 20 de setembro, quando os invasores foram retirados do local.

A procuradora da República Patrícia Daros Xavier e a promotora de Justiça Eliane Cristina Pinto Moreira afirmam que “a falta injustificada e o retardamento indevido do cumprimento da decisão judicial implicarão a responsabilidade cível e criminal de quem lhes der causa”.

Para garantir que os ocupantes irregulares não voltem a ocupar a área invadida, o Ministério Público solicita ao Comando-Geral que intensifique o policiamento na região e que seja feita uma série patrulhamentos no PDS Anapu III e IV.

O caso – O PDS Virola-Jatobá foi criado há cerca de 15 anos com objetivo de ser um espaço para a manutenção do modo de vida de comunidades locais que lutam pela preservação da floresta. A área atrai grande interesse econômico, por esse motivo é alvo de constantes invasões para extração ilegal de madeira.

No dia 15 de novembro de 2017, um grupo de, aproximadamente, 200 pessoas articulou uma invasão sobre a área de reserva florestal do PDS, destinada a projeto de Plano de Manejo Florestal Sustentável das comunidades do assentamento, quando passaram a lotear e desmatar as áreas de aproximadamente 100 a 200 hectares.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

MP pede garantia de policiamento em assentamento criado por Dorothy Stang no Pará - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV