Agricultores de Anapu denunciam invasão de área de assentamento

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O Sínodo Mundial é uma preparação para um futuro Concílio, afirma arcebispo de Praga

    LER MAIS
  • Müller também se recusa, na 'TV do diabo', a participar do Sínodo

    LER MAIS
  • Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 29 Setembro 2012

Agricultores assentados no Projeto de Desenvolvimento Sustentável Virola Jatobá, em Anapu, no sudoeste do Pará, denunciam que madeireiros estão invadindo a área de reserva do projeto. Eles estão preocupados com a segurança da comunidade após uma ação do Ibama ter apreendido máquinas pesadas utilizadas na extração ilegal de madeira na região.

A reportagem é do portal G1, 28-09-2012.

Segundo o coordenador do posto avançado do Incra em Anapu, Fagner Garcia, o órgão identificou 18 trabalhadores utilizando 7 tratores para extração de madeira no PDS. Com o apoio da comunidade, quatro máquinas foi detido até a chegada do Ibama, que fez a apreensão. De acordo os fiscais do Ibama, cerca de 300 árvores de 10 espécies diferentes teriam sido cortadas. O Ibama está investigando para descobrir quem são os proprietários das máquinas encontradas no PDS.

Os funcionários que operavam as máquinas foram liberados, e os assentados se tornaram fiéis depoistários do material apreendido, mas estão com medo que os proprietários das máquinas tentem reaver os equipamentos. Segundo a Comissão Pastoral da Terra, as invasões são constantes no PDS, e vem sendo denunciadas pela CPT desde 2011.

"O clima está tenso. Por enquanto o Ibama tá aqui, mas eles vão embora. A comunidade está sendo guardiã do que o governo deveria fazer. A gente pede que o governo seja mais presente, não dá pra confiar nesses caras (os madeireiros), eles são capazes de tudo", desabafa o padre José Amaro, da Comissão Pastoral da Terra em Anapu.

A área onde ocorre a extração de madeira no PDS Virola Jatobá é de difícil acesso, fica a 100 quilômetros da sede do município. Segundo o Incra, o local é alvo frequente dos madeireiros, e o órgão não consegue fazer o controle adequado da área.  "Há constante invasão de madeireiros ilegais. A gente dá combate, mas eles retornam por outro ponto. É complicado, há dificuldade de acesso, grande ousadia dos madeireiros e o Incra tem carência estrutural", explica Fagner Garcia, coordenador do posto avançado do Incra em Anapu.

Os próprios agentes do Incra também sofrem com a insegurança da região. "Constantemente sofremos ameaças, porque nosso trabalho fere os interesses destes setores que operam na ilegalidade, e com a greve da Polícia Federal estamos contanto com o apoio da PM do Pará, que é deficiente. O ideal seria a Força de Segurança Nacional", avalia Garcia.

Entenda o caso

Anapu ficou conhecida internacionalmente pelos conflitos de terra. Em 2005, a missionária Dorothy Stang foi assassinada no município ao defender planos de manejo sustentáveis no PDS Esperança, vizinho do PDS Virola Jatobá, onde ocorreu a apreensão das máquinas pesadas.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Agricultores de Anapu denunciam invasão de área de assentamento - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV