Horror no México: encontrados os corpos de seis mulheres sequestradas e estupradas por um grupo de homens armados

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • 23 razões para participar da Greve Climática desta sexta-feira

    LER MAIS
  • Cisma: uma noção que mudou ao longo dos séculos. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Vozes que desafiam. Etty Hillesum, a mística da resistência e do enfrentamento ao ódio

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Maio 2018

Horror no México. Os corpos de seis mulheres, raptadas na sexta-feira à tarde, 25, por um grupo de homens armados, foram encontrados na manhã de sábado, 27, em um barranco ao longo da estrada que liga Ciudad Victoria a Tula, em uma localidade no estado de Tamaulipas, no norte do México. A notícia foi confirmada pelas autoridades locais.

A reportagem é do jornal L’Osservatore Romano, 28-05-2018. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Antes de serem mortas, as mulheres – de acordo com as notícias fornecidas pela imprensa local – foram sequestradas e estupradas. O promotor que está investigando o caso disse que ainda não está claro quem eram os sequestradores. Os corpos foram encontrados perto do local de seu sequestro, segundo as autoridades de segurança. Os cadáveres traziam sinais de abusos sexuais e de tiros.

Tamaulipas, situado na fronteira com os Estados Unidos, tem uma das mais altas taxas de criminalidade do país e é o palco de uma sangrenta guerra entre dois poderosos grupos de traficantes de drogas: o cartel do Golfo e o dos Zetas. Esses dois grupos estão envolvidos há muito tempo em uma guerra pelo controle das “passagens” através das quais viaja a droga destinada ao mercado norte-americano.

O México tem sido abalado há décadas pelos conflitos e pelas violências ligadas ao controle do mercado da droga. Em dezembro de 2006, o governo federal lançou uma vasta ofensiva militar para combater a criminalidade e os narcotraficantes, mas não houve nenhum resultado concreto. De 2006 até hoje, mais de 200 mil pessoas foram assassinadas.

A região é uma das mais atingidas pela criminalidade ligada ao tráfico de drogas, onde as barreiras em rodovias, assim como os conflitos armados nas ruas e nos centros comerciais em plena luz do dia são comuns. Não só isso: o confronto entre forças armadas, narcotráfico e política foi documentado e denunciado.

O mês de outubro de 2017 foi o mais violento do México nos últimos 20 anos, com 2.371 casos de homicídio registrados no país, segundo dados oficiais do Ministério Público Federal. Quando comparados ao mesmo mês de 2016, os homicídios aumentaram em 27,4%. Atualmente, os números indicam que, no México, a cada hora, uma pessoa é morta de forma violenta ou envolvida em um episódio de violência.

Essa onda de violência afeta principalmente as mulheres. O número de mulheres mortas a cada ano no país passou dramaticamente de 1.519 em 1990 para 2.813 em 2016. Como afirmam os observadores, com a ofensiva militar, paradoxalmente, os feminicídios aumentaram.

A militarização do território imposta pelo governo para combater o narcotráfico aumentou a violência em 200% em dois anos, e, em nove anos, foram assassinadas 1.200 mulheres.

Além disso, aumentaram as mulheres desaparecidas, cujos corpos não são mais encontrados. Apenas em Ciudad Juárez, o número oficial é de 154 mulheres desaparecidas nos últimos anos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Horror no México: encontrados os corpos de seis mulheres sequestradas e estupradas por um grupo de homens armados - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV