Importante católica gay irlandesa pede "Matrimônio Sacramental Completo" para casais LGBT em conferência pré-Encontro Mundial de Famílias

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa aprovará padres casados na Amazônia, afirma teólogo

    LER MAIS
  • “A capacidade de constituição de novos horizontes da esquerda brasileira, hoje, é nula”. Entrevista com Vladimir Safatle

    LER MAIS
  • Depressão vertiginosa que o Brasil atravessa também é herança da esquerda, diz Le Monde

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

24 Abril 2018

Reformadores da Igreja na Irlanda recentemente tiveram uma reunião prévia ao Encontro Mundial de Famílias (EMF) para discutir questões sobre matrimônio e família. Na reunião, uma importante católica gay pediu igualdade plena do sacramento do matrimônio.

Católicos de diversas origens familiares participaram juntos da conferência, intitulada "Future Families: Challenges for Faith and Society" (Famílias no Futuro: Desafios para a fé e para a sociedade). O encontro foi promovido pela Association of Catholics in Ireland (Associação dos Católicos da Irlanda), uma organização de leigos reformista. O objetivo foi "avaliar as realidades da vida familiar, particularmente dos que se sentem abandonados ou alienados da Igreja por suas circunstâncias". Um relatório da conferência está sendo enviado ao Papa Francisco e aos organizadores do EMF.

A informação é Robert Shine, publicada por New Ways Ministry, 23-04-2018. A tradução é de Luisa Flores Somavilla.

Ursula Halligan, católica e lésbica que já fez a cobertura política da Irlanda na TV3, falou na conferência. Ela pediu que a Igreja institucional permita o matrimônio sacramental a casais homossexuais, conforme explicou ao The Independent:

"Sendo gay, eu não quero o cuidado pastoral da Igreja. O cuidado pastoral só traz conforto para a Igreja... Eu rejeito a doutrina de que as pessoas gays sejam 'objetivamente desordenadas' e que o nosso amor seja 'intrinsecamente mal'”...

"'Como mulher lésbica, não tolero mais isso. Não vou mais sentar na parte de trás do ônibus. A Igreja institucional precisa mudar isso... [A doutrina da Igreja sobre a homossexualidade é] profundamente ultrajante e ofensiva, não apenas para a dignidade dos gays, mas a Deus, pois somos feitos à Sua imagem e semelhança".

"Eu acredito que o meu amor é tão digno quanto qualquer outro, e como católica busco o matrimônio sacramental completo para casais homossexuais".

Halligan também comentou especificamente sobre o Encontro Mundial de Famílias, dizendo que a remoção de imagens, textos e vídeos relacionados a questões LGBT dos materiais promocionais foi "preocupante e alarmante". Ela questionou: "que preparativos estão sendo feitos para garantir que pelo menos uma dessas famílias [de cinco que vão dar seu testemunho no EMF] seja composta por um casal homossexual?"

Denis O'Brien, vice-presidente do Conselho Nacional de Juventude da Irlanda, advertiu a plateia sobre o impacto problemático da doutrina da Igreja nos jovens católicos. Segundo o jornal The Irish Times, ele teria dito:

"Hoje em dia, os jovens... tendem a não seguir regras que não consideram válidas ou sensatas.... Para a juventude atual, grande parte da doutrina da Igreja é irrelevante em áreas relacionadas à sexualidade e à reprodução e pouco desperta sua curiosidade... Dependendo da perspectiva, pode-se dizer que esta geração, e talvez a geração atual de pais jovens, escapou ao controle da Igreja a respeito disso ou não mais se afeta pela Igreja'”...

"'Encerrar a discussão, buscando promover regras que parecem não fazer sentido e centrando-se em se algo é pecado ou não vai afastar os jovens".

Além disso, Irene Graham, que tem um filho gay, perguntou:

"Quando a Igreja vai dizer que a sexualidade é parte de quem somos?... Queremos saber quando vamos normalizar a sexualidade – e ninguém vai ficar olhando [uma pessoa] e dizendo: ele é gay, ou ela é gay?'"

A demanda de Halligan por igualdade sacramental plena é forte e inequívoca. Suas palavras devem ressoar em muitos católicos, principalmente os mais jovens, sobre quem O'Brien falou. A tolerância de esperar uma mudança extremamente lenta e uma inclusão pouco a pouco estão diminuindo entre os mais jovens, que não se sentem obrigados a continuar fazendo parte de uma Igreja institucional que não respeita as pessoas LGBT nem reconhece a dignidade do amor que compartilham.

Outro caminho é possível, no entanto, como o modelo proposto pela Associação dos Católicos da Irlanda. O Encontro Mundial das Famílias também é uma oportunidade de reflexão honesta sobre as realidades da vida familiar atual e das formas problemáticas como são abordadas pelos líderes da Igreja. Mas para ser uma reflexão honesta e aberta de verdade, a conversa precisa ir além da simples inclusão. Chamados proféticos como o de Ursula Halligan precisam poder ser manifestados e considerados com seriedade, pois ela aponta o caminho da Igreja que está por vir.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Importante católica gay irlandesa pede "Matrimônio Sacramental Completo" para casais LGBT em conferência pré-Encontro Mundial de Famílias - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV