Bolsa Família é único gasto que chega aos pobres, aponta OCDE

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa aos padres gays (e heterossexuais): sejam celibatários ou vão embora. Artigo de Thomas Reese

    LER MAIS
  • 50 anos após a morte de Merton, ''finalmente o estamos entendendo''

    LER MAIS
  • “Pobre catolicismo que nunca chegou a ser cristão!”. Artigo de José I. González Faus

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Março 2018

O Bolsa Família é o único gasto público que realmente chega aos pobres, afirmou Jens Arnold, economista responsável pelo Brasil na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), nesta quinta-feira (1º), em evento em São Paulo.

“É um gasto verdadeiramente progressivo, porque 83% das despesas atingem os 40% mais pobres. E o Brasil gasta apenas 0,5% do PIB (Produto Interno Bruto) nesse programa”, diz ele.

A informação é publicada por portal Uol, 01-03-2018.

O economista recomendou deslocar ao Bolsa Família as economias que possam ser geradas com mudanças no sistema previdenciário.

Uma das sugestões é desatrelar os níveis mínimos da Previdência ao salário mínimo, já que 56% da população tem rendimento menor que o piso salarial do país.

“Deslocar essa economia ao Bolsa Família teria um efeito de diminuir 63% mais rapidamente a desigualdade que nos últimos anos.”

A reforma da Previdência foi colocada pelo economista como prioritária ao crescimento e à distribuição de renda no país.

“A reforma é a maior oportunidade para crescimento inclusivo, devido aos benefícios implícitos do sistema. 80% dos gastos da previdência estão com os 60% mais ricos”, afirmou.

O economista também destacou outros pontos que alavancariam a distribuição de renda e oportunidades no país, como o deslocamento de despesas em educação, hoje concentrados no ensino superior, ao ensino básico, e a maior abertura comercial do país, que ampliaria o poder de compra dos mais pobres.

A organização divulgou, nesta quarta (28), um relatório especial sobre o Brasil em que recomenda iniciativas para melhorar o ambiente de negócios, reduzir a corrupção, abrir a economia, desenvolver o mercado financeiro e melhorar o funcionamento do Estado.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bolsa Família é único gasto que chega aos pobres, aponta OCDE - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV