Manuela admite aliança com integrantes do PMDB: 'A política é mais complexa no Brasil'

Revista ihu on-line

Junho de 2013 – Cinco Anos depois.Demanda de uma radicalização democrática nunca realizada

Edição: 524

Leia mais

A esquerda e a reinvenção da política. Um debate

Edição: 523

Leia mais

A virada profética de Francisco – Uma “Igreja em saída” e os desafios do mundo contemporâneo

Edição: 522

Leia mais

Mais Lidos

  • Caindo a máscara

    LER MAIS
  • China. A visão de Xi Jinping sobre a governança global

    LER MAIS
  • Descobrindo o sofrimento da América Central

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

07 Dezembro 2017

A pré-candidata do PCdoB à Presidência da República, Manuela D'ávila, admitiu que pode fazer aliança com nomes do PMDB e do PSDB. Em entrevista ao jornal Correio, da Bahia, ela defendeu nesta segunda-feira (4) a criação de uma frente ampla pelo desenvolvimento do Brasil e o nome do senador Roberto Requião (PMDB-PR) como parte dessa frente.

A informação é de Thais Matos, publicada por HuffPost Brasil, 06-12-2017.

"Ele faz parte da minha ideia de frente ampla. E ele é do PMDB. Os partidos não têm esse contorno ideológico que a imprensa tenta dar. Como vou dizer que o PMDB de Requião é o mesmo de Temer? A política é mais complexa no Brasil", declarou. Junto com a então senadora do PMDB Kátia Abreu (sem partido-TO), Requião foi uma das vozes peemedebistas dissonantes, contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

No Maranhão, único estado governado pelo PCdoB, o governo de Flávio Dino tem aliança com o PSDB. A pré-candidata também defendeu essa composição em nome do desenvolvimento do estado. "O Maranhão é um exemplo: tem muitos partidos, mas tem um projeto para tirar o Maranhão do mais baixo IDH do Brasil. Há um pacto [para] tirar o Maranhão das mãos do Sarney."

Ainda em Salvador, durante palestra, Manuela relembrou também a aliança histórica de seu partido com o PT: "Nós tivemos uma longa relação de apoio aos governos Lula e Dilma. Mais do que apoiar, governamos juntos, construímos mudanças importantes para o Brasil. Quem tem coragem de dizer que os 10 milhões de moradia não foram importantes, o Programa Mais Médicos? Conseguimos políticas importantes e com o impeachment de Dilma um novo ciclo se abriu e é necessário apresentar as nossas propostas."

Manuela também defendeu seu projeto de desenvolvimento do País, que engloba a retomada dos investimentos estatais, principalmente em infraestrutura e políticas sociais.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Manuela admite aliança com integrantes do PMDB: 'A política é mais complexa no Brasil' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV