Dia Mundial dos Pobres: 1.500 pessoas vão almoçar com o papa no Vaticano

Revista ihu on-line

Base Nacional Comum Curricular – O futuro da educação brasileira

Edição: 516

Leia mais

Renúncia suprema. O suicídio em debate

Edição: 515

Leia mais

Lutero e a Reforma – 500 anos depois. Um debate

Edição: 514

Leia mais

Mais Lidos

  • “O grande erro da esquerda é pensar que movimentos sociais são sempre bons", afirma Manuel Castells

    LER MAIS
  • Um milhão de crianças fora da escola: o absurdo do trabalho infantil no Brasil

    LER MAIS
  • Discurso da esquerda não dá a Lula a menor chance de fazer bom governo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Novembro 2017

Os últimos, os frágeis, os homens e as mulheres dos quais a dignidade é pisoteada todos os dias. Para eles, será celebrado, no próximo domingo, 19 de novembro, o 1º Dia Mundial dos Pobres no Vaticano. Um evento fortemente desejado pelo Papa Francisco na conclusão do Jubileu da Misericórdia e organizado pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, que reunirá 4.000 pessoas necessitadas, carentes e pobres na Basílica de São Pedro para a missa com o pontífice às 10h (hora de Roma).

A reportagem foi publicada por Vatican Insider, 14-11-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Todos serão acompanhados pelos membros das associações de voluntariado provenientes não só de Roma e do Lácio, mas também de diversas dioceses do mundo (como Paris, Lyon, Nantes, Angers, Beauvais, Varsóvia, Cracóvia, Solsona, Malines-Bruxelas e Luxemburgo).

Após a missa com o papa, 1.500 pobres serão acolhidos na Sala Paulo VI, para participar de um almoço festivo com o Papa Bergoglio. O momento será animado pela Banda da Gendarmeria Vaticana e pelo coro Le Dolci Note, composto por crianças de 5 a 14 anos.

Os outros 2.500, por sua vez, serão transferidos para refeitórios, seminários e colégios católicos em Roma (Pontifício Colégio Americano do Norte, Colégio Apostólico Leoniano, refeitórios do Círculo de São Pedro, refeitório da Cáritas Roma, Comunidade de Santo Egídio, Pontifício Seminário Romano Menor, Pontifício Ateneu Regina Apostolorum) para também participar de um almoço festivo.

Os pobres serão servidos por 40 diáconos da diocese de Roma e por cerca de 150 voluntários provenientes das paróquias de outras dioceses. O menu que o restaurante Al Pioppeto, de Sergio Dussin, servirá na Sala Paulo VI será composto por nhoques da Sardenha com tomates, azeitonas e queijo Collina Veneta, costeletas de vitela com legumes, polenta e brócolis de Bassano, tiramisú veneziano, água, suco de laranja e café.

O Dicastério para a Nova Evangelização, de acordo com um comunicado, dirigiu-se a algumas associações de voluntariado, como a Cáritas, Comunidade de Santo Egídio, Ordem de Malta, Nuovi Orizzonti, Comunidade João XXIII, Associação Fratello 2016, Obras Antonianas de Roma, ACLI, Grupos Vincentinos de Voluntariado.

E também foram envolvidas as realidades próximas das pessoas marginalizadas e das paróquias, para que conseguissem envolver todos os necessitados nesse dia. Foi generosa a resposta de todos esses institutos, que ofereceram um apoio valioso na organização.

Entre as iniciativas em preparação ao evento, deve-se ressaltar o Presidio Sanitario Solidale, ativo – de segunda-feira, 13, a domingo, 19 de novembro, das 9h às 16h – na Praça Pio XII. Nessa área médica, serão realizadas, gratuitamente, para todos aqueles que pedirem, análises clínicas, consultas médicas especializadas de cardiologia, dermatologia, infectologia, ginecologia e andrologia.

Na véspera do evento, sábado, 18, às 20h (hora de Roma), na Basílica de São Lourenço Fora dos Muros – deliberadamente escolhida pela referência ao santo diácono de Roma, que, ao imperador que lhe pediu as riquezas da Igreja, apresentou os pobres, dizendo: “Estes são os verdadeiros tesouros da Igreja” – será celebrada uma vigília de oração pelo mundo do voluntariado, que, todos os dias, no silêncio do seu compromisso, oferecem alívio e alegria a tantos pobres.

Na preparação do 1º Dia dos Pobres, foi preparado um subsídio pastoral, intitulado “Não amemos com palavras, mas com obras”, traduzido para seis idiomas. Na Itália e no restante do mundo, as dioceses e as paróquias acolheram com entusiasmo o convite do Papa Francisco, com muitas iniciativas em favor das pessoas menos favorecidas.

Leia mais:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dia Mundial dos Pobres: 1.500 pessoas vão almoçar com o papa no Vaticano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV