Aquecimento causado por humanos provavelmente causou a recente tendência de temperaturas recordes

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • ''Há um plano para forçar Bergoglio a renunciar", denuncia Arturo Sosa

    LER MAIS
  • EUA: um complô para fazer com que o papa renuncie

    LER MAIS
  • “Construímos cidades para que as pessoas invistam, não para que vivam”. Entrevista com David Harvey

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Agosto 2017

É “extremamente improvável” que 2014, 2015 e 2016 teriam sido os anos consecutivos mais quentes registrados sem a influência da mudança climática causada pelo homem, de acordo com os autores de um novo estudo.

A reportagem foi publicada por American Geophysical Union e reproduzida por EcoDebate, 14-08-2017. A tradução e edição é de Henrique Cortez.

Os registros de temperatura foram quebrados pela primeira vez em 2014, quando esse ano se tornou o ano mais quente desde que os registros de temperatura global começaram em 1880. Essas temperaturas foram superadas em 2015 e 2016, fazendo o ano passado o ano mais quente já registrado. Em 2016, a temperatura média global em terra e áreas de superfície do oceano foi de 0,94 graus Celsius (1,69 graus Fahrenheit) acima da média do século 20 de 13,9 graus Celsius (57,0 graus Fahrenheit), de acordo com a NOAA.

Combinando dados históricos de temperatura e simulações de modelos climáticos de última geração, o novo estudo indica que a probabilidade de sofrer temperaturas globais consecutivas de 2014 a 2016 sem que os efeitos das mudanças climáticas fossem causados pelo homem não seriam superiores a 0,03% ea probabilidade de três anos recordes consecutivos acontecer a qualquer momento desde 2000 não é mais de 0,7%. Quando o aquecimento antropogênico é considerado, a probabilidade, de três anos consecutivos temperaturas recordes, vir a ocorrer, a qualquer momento desde 2000, spbe até 50%, de acordo com o novo estudo.

Isso significa que as mudanças climáticas causadas pelo ser humano são muito susceptíveis de responsabilidade para os três anos consecutivos de registros recordes, de acordo com o novo estudo aceito para publicação em Geophysical Research Letters , uma publicação da American Geophysical Union.

“Com as mudanças climáticas, este é o tipo de coisa que esperamos ver. E, sem mudanças climáticas, realmente não esperamos ver isso”, disse Michael Mann, cientista climático da Pennsylvania State University, em State College, Pensilvânia, e principal autor do novo estudo.

Um planeta aquecido

Os gases de efeito estufa, como o dióxido de carbono e o metano, acumulam-se na atmosfera e atraem o calor que, de outra forma, escaparia para o espaço. O excesso de gases de efeito estufa de atividades industriais, como a queima de combustíveis fósseis, captura calor adicional na atmosfera, fazendo com que as temperaturas da Terra aumentem. A temperatura média da superfície do planeta aumentou cerca de 1,1 graus Celsius (2,0 graus Fahrenheit) desde o final do século 19, e os últimos 35 anos viram a maioria do aquecimento, com 16 dos 17 anos mais quentes registrados desde 2001, De acordo com a NASA.

Os cientistas agora estão tentando caracterizar a relação entre altas temperaturas anuais e o aquecimento global causado pelo homem.

Em resposta às últimas temperaturas, de três anos, os autores do novo estudo calcularam a probabilidade de observar uma série de três anos de temperaturas recordes, já que os registros de temperatura global anualmente começaram no final do século 19 e a probabilidade de ver tal registro desde 2000, quando grande parte do aquecimento foi observado. Os autores do estudo determinaram a probabilidade de que esse tipo de evento acontecesse tanto com e sem a influência do aquecimento causado pelo homem.

O estudo considera que, a cada ano, não é independente dos que vêm antes e depois, em contraste com as estimativas anteriores que assumiram que os anos individuais são estatisticamente independentes uns dos outros. Há eventos naturais e humanos que fazem com que as mudanças de temperatura se agrupem, como padrões climáticos como El Niño, o ciclo solar e as erupções vulcânicas, de acordo com Mann.

Quando essa dependência é levada em consideração, a probabilidade de esses três anos consecutivos de gravação ocorrerem desde 1880 é de cerca de 0,03% na ausência de alterações climáticas causadas pelo homem. Quando a tendência de aquecimento a longo prazo das mudanças climáticas causadas pelo homem é considerada, a probabilidade de 2014-2016 serem os anos consecutivos mais quentes registrados desde 1880 eleva-se entre 1 e 3%, de acordo com o estudo.

A probabilidade de que esta série de anos recordes seja observada em algum ponto desde 2000 seria inferior a 0,7% sem a influência da mudança climática causada pelo homem, mas entre 30 e 50% quando a influência das mudanças climáticas causadas pelo homem é considerada.

Se as mudanças climáticas causadas pelo homem não forem consideradas, o aquecimento observado em 2016 teria cerca de uma chance em um milhão, em comparação com uma chance de quase 1 em 3, quando o aquecimento antropogênico é levado em consideração, de acordo com o estudo.

Os resultados tornam difícil ignorar o papel que a mudança climática causada pelo homem está influenciando as temperaturas ao redor do mundo, de acordo com Mann. O aumento das temperaturas globais está relacionado a eventos climáticos mais extremos, como ondas de calor, inundações e secas, que podem prejudicar humanos, animais, agricultura e recursos naturais, disse ele.

“As coisas que provavelmente nos impactarão mais sobre mudanças climáticas não são as médias, são os extremos”, disse Mann. “Se é uma seca extrema, ou inundações extremas, ou ondas de calor extremas, quando se trata de impactos nas mudanças climáticas … muitos eventos climáticos mais impactantes são eventos extremos. Os eventos estão sendo mais frequentes e mais extremos por causa das mudanças climáticas de origem antropogênica”.

Referência:

Mann, M. E., S. K., Miller, S., Rahmstorf, B. A., Steinman, and M., Tingley (2017), Record Temperature Streak Bears Anthropogenic Fingerprint, Geophys. Res. Lett., 44, doi:10.1002/2017GL074056.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Aquecimento causado por humanos provavelmente causou a recente tendência de temperaturas recordes - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV