Bispos dos EUA lamentam a saída do Acordo de Paris anunciada por Trump

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Bartomeu Melià: jesuíta e antropólogo evangelizado pelos guarani (1932-2019)

    LER MAIS
  • Bolsonaro institui o Dia do Rodeio na Festa de São Francisco de Assis

    LER MAIS
  • “O transumanismo acredita que o ser humano está em um suporte equivocado”, afirma filósofo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Junho 2017

Traduzimos e publicamos a seguir a nota da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos – USCCB, emitida no dia de ontem, 01-06-2017, logo após o anúncio de Trump. A tradução é de Isaque Gomes Correa.


Eis a nota.

Nesta quinta-feira, 1º de junho, o presidente Donald J. Trump anunciou que os Estados Unidos não irão honrar o Acordo de Paris sobre as mudanças climáticas. Estados Unidos e China, os dois maiores emissores de carbono, e outros 195 países, assinaram o acordo ratificado em novembro de 2016. O seu texto estabelece que as nações devem reduzir as suas emissões de dióxido de carbono a fim de manter as temperaturas globais não acima de dois graus Celsius em relação aos níveis pré-industriais.

Em um comunicado, reproduzido abaixo, Dom Oscar Cantú, da Diocese de Las Cruces, presidente da Comissão para Justiça e Paz Internacional da USCCB, enfatiza que, embora o Acordo de Paris não seja o único mecanismo possível para abordar a mitigação do carbono global, a falta de uma alternativa viável atual é uma preocupação grave.

A nota divulgada diz:

“A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos – USCCB, juntamente com o Papa Francisco e toda a Igreja Católica, vem coerentemente defendendo o Acordo de Paris como um mecanismo internacional importante para a promoção da administração ambiental e para encorajar a mitigação das mudanças climáticas. A decisão do Presidente de não honrar o compromisso americano com o Acordo de Paris é profundamente preocupante.

As Escrituras afirmam o valor do cuidado da criação e do cuidado uns para com os outros em solidariedade. O Acordo de Paris é um acordo internacional que promove estes valores. A decisão do Presidente Trump prejudicará o povo dos Estados Unidos e do mundo, especialmente os mais pobres, as comunidades mais vulneráveis. Os impactos das mudanças climáticas já estão sendo percebidos no aumento do nível do mar, nos derretimentos glaciais, nas tempestades intensificadas e em secas mais frequentes. Só posso esperar que o Presidente venha a propor meios concretos para resolver as alterações do clima global e promover a administração ambiental”.

A USCCB tem manifestado apoio a uma ação prudente e um diálogo sobre as mudanças climáticas desde o seu documento de 2001 intitulado “Global Climate Change: A Plea for Dialogue, Prudence, and the Common Good” (Mudança climática global: um apelo ao diálogo, à prudência e ao bem comum). Em carta ao Congresso no ano de 2015, os bispos americanos, juntamente com os presidentes da Catholic Charities e da Catholic Relief Services, encorajaram os Estados Unidos a subscrever o Acordo de Paris. Desde então, reiteraram este apoio em várias ocasiões. O Papa Francisco e a Santa Sé também coerentemente manifestaram apoio ao Acordo de Paris.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bispos dos EUA lamentam a saída do Acordo de Paris anunciada por Trump - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV